sábado, 7 de janeiro de 2017

Sábado

Estava habituada a que o sábado fosse igual a um sábado. Limpezas, arrumações, estendais de roupa, sacos de compras, supermercado, almoço de peixe assado, máquina fotográfica, passeio no campo ou vistas de mar.

Estranho sábado, este, que apesar do almoço com peixe assado, não se assemelha a ele próprio. Está aqui comigo e noto-o exatamente igual a ontem, que foi sexta-feira, e a anteontem que foi quinta-feira, e ao dia anterior que foi quarta-feira, e a cada dia desta semana que finda hoje. Pobre sábado.

9 comentários:

mz disse...

Existem sábados assim... não se distinguem dos outros dias da semana.

:)

papoila disse...

Depois da época natalícia em que as rotinas são quebradas acho que ficamos um pouco "confusos" no próximo Sábado já está tudo normalizado.
Bjs

Célia Rangel disse...

A rotina estafa-nos... Bom é variarmos...
Abraço.

bea disse...

Está quase morto este dia que não lhe soube a ser sábado. Menos de três quartos de hora e já foi. E se amanhã lhe for domingo, já é suficiente. Mas...e se não for?! Então o melhor será reclamar com o chefe dos dias. Que as semanas assim cheias de dias que não são eles, não se aguentam. Reclama, pois.

bea disse...

Estive a ler ali no andar de baixo. E compreendi que está de pé torcido, logo não pode praticar as rotinas de ser sábado. Portanto, anulemos a conversa acima. E melhorinhas. É um bocado aborrecido ficar quieta e manquejar para tudo.

Ana Freire disse...

Hão-de vir melhores sábados, com sabor a sábado...
E sendo assim, para amanhã, desejo-lhe um bom domingo!
Beijinhos
Ana

Briseis disse...

outros sábados virão... =)

CCF disse...

A princípio é difícil, parece que estamos fora do mundo e sentimos a estranheza que é não sairmos para o trabalho. Depois, com o tempo, encontramos outras rotinas, coisas que há muito não fazíamos ou fazíamos menos. Agora penso, ao contrário, que voltar ao trabalho não me será fácil, é como se tivesse entrado num outro modo de ser, sem o frenesim e a energia que me caracterizavam. Espero que se encontre nesse tempo de pausa, o desenho e a escrita, serão por certo boas companhias. E tem sempre a nossa, embora virtual, é sempre alguma coisa.
Um abraço
~CC~

Gaja Maria disse...

Logo virão os sábados de sempre. Curioso, queixamo-nos das rotinas e depois sentimos-lhe a falta :)