quarta-feira, 22 de março de 2017

Toalha de mesa



Falo-te hoje de uma toalha de mesa
simples pano de algodão
protegendo o verniz,
o brilho da madeira.
Falo do desarrumo de
meses a fio e de dois castiçais
que ladeiam uma fruteira vazia.
Falo de um maço de papéis
rascunhos de vida,  de sonhos e de nadas,
misérias que  impregnam  as lentes dos óculos
quase sempre embaciadas.
Falo de uma folha branca parada no ecrã,
de um fio repuxado,
arrancado ao casaco, enrolado entre os dedos,
deixado sobre a mesa
como migalha para sacudir e varrer.

Falo-te hoje de uma toalha de mesa
que é preciso trocar.


22 comentários:

Laura Ferreira disse...

essa toalha deve guardar tantas histórias, Luísa...
gosto muito da luz da imagem.

Célia Rangel disse...

Vidas se debruçaram sobre essa toalha... Histórias em cada fio desse tecido... teceram muitas emoções!
Abraço.

Impontual disse...

Luisa, para que vai trocar essa tolha de mesa? Deixe estar.

AvoGi disse...

Uma toalha com histórias. As minhas tb têm muito para contar
Kis :=}

O meu pensamento viaja disse...

Olá, Luísa! Sou a Nina, portuguesa do Porto que encontrou o seu blog no Brasil, na casa da Glorinha..
Entrei por cusquice! E espantada parei! Que bem escreve, Luísa! Que bem!
É um dom, eu sei, mas para chegar a esse apuro há que cultivar.
Voltarei.

Ricardo Santos disse...

Muito bom Luísa. Gostei imenso!

Portugalredecouvertes disse...


A toalha parece que tem uma joia Luisa!
tratas bem dela !!!

Graça Sampaio disse...

Muito bonito, Luísa!!

papoila disse...

Luisa, Já disse várias vezes e repito: tudo que fazes é especial és uma artista completa: do nada fazes arte! Parabéns.
Adoro a tua escrita.
bjs

Diana Fonseca disse...

Quem andou, não tem mais para andar.
Uma vida passada por essa toalha.

Gaja Maria disse...

Uma toalha que fala da vida e de quem a usa, não troques :)

Janita disse...

Um belo texto poético que nos conta muitas histórias.
A toalha é um simples pormenor, ou não...fios repuxados em cima dela são como migalhas de pão. Lindo.

Beijinhos.

bea disse...

O quadro parece-me um tanto desolado.Uma fruteira vazia, dois candelabros...eu tirava a toalha nem que fosse apenas para lavar, passar a ferro, coisas assim que mudam uma casa na nossa casa. Toda a gente a dizer não troques. Mas trocar não é atirar fora. E pode na mesma significar apego a ela. Acho eu.

Pedro Coimbra disse...

Tenho algumas lá em casa que guardam muitas memórias.

luisa disse...

Laura,
Guarda sobretudo a história de um intervalo, de um tempo de espera.

Célia,
Digamos que também foi acolhendo leituras e que nelas absorveu emoções.

Impontual,
É o desejo de recomeçar, de retomar uma história suspensa. A troca, de qualquer modo, não invalida que conserve uma memória.

AvoGi,
Nem sempre pensamos nisso, nas histórias que os objetos guardam.

Nina,
Eu acho que já nos cruzámos em outras ocasiões, só que este mundo é tão vasto que por vezes nos perdemos na multidão. Obrigada pelas simpáticas palavras.

Ricardo,
Obrigada! Ainda bem que gostaste.

Ângela,
Mas já está velhinha… :)

Graça,
Obrigada!

Papoila,
Fico lisonjeada com as tuas palavras, mas acho que não mereço tanto elogio. :)

Diana,
Há objetos que nos acompanham uma vida inteira. Ou quase.

GM,
Há momentos em que é preciso trocar. Arejar. Mudar. Renovar. Recomeçar. Mesmo que se volte a eles ( ou parte deles) de vez em quando.

Janita,
Se o texto servir para contar muitas histórias e se essas histórias forem as de cada leitor, então sim, fico contente. Obrigada!

Bea,
Sim. Trocar não é deitar fora. E a toalha, coitada até se vai sentir como nova depois de um bom trato. :)

Pedro,
Os objetos têm essa capacidade de conservar as nossas memórias.

AFRODITE disse...


Posso plagiar a Papoila?

Só lhe acrescento é mais uns :***
(^^)

Benó disse...

E as migalhas ou as nódoas que ocasionalmente caem sobre a toalha? Há sempre uma história para contar e tu, Luisa, és uma boa contadora de histórias.Um abraço.

Maria Gloria D'Amico disse...

Luíza, a foto é incrível! E as palavras não ficam atrás, belas!
As mesas, bem como as toalhas, são fontes de histórias. Parecem possuir poros, para reter as memórias.
Sobre o nome do restaurante, Como Água para Chocolete, sim há um livro e um filme, também. É bem interessante.

luisa disse...

Afrodite,
Tu é que és muito generosa... :)

Benó,
São marcas do tempo. Obrigada.

Maria Glória,
Agradeço as suas gentis palavras.

ana disse...

além do que falas, transbordas...

Ana Freire disse...

Uma toalha... com muitas marcas de vida...
É um bom sinal... uma toalha com tanto por contar...
Precisa ser trocada, para um dia destes voltar ao seu lugar...
Como sempre, um texto incrível!... E acompanhado de uma foto perfeita... uma dupla maravilha!
Beijinhos
Ana

luisa disse...

ana,
Espero que ao transbordar não deixe a toalha ainda em pior estado... :))

Ana Freire,
Convém trocar, de vez em quando. Renovar. :)