sábado, 16 de junho de 2012

Aceito o tempo


Aceito o tempo e as suas marcas. Aceito a vida como ela é. Posso até sonhar com outras vidas. Mas um sonho é isso mesmo. Nem sempre se torna realidade. E mesmo quando se torna realidade há logo outro sonho pronto a substituí-lo. Aceito o tempo e o que ele me traz. Nem sempre aceito os dias. Luto contra alguns deles. Luto contra os que teimam em contrariar-me. Não ganho eu nem ganham eles. Só o tempo ganha. Só o tempo comanda. Basta perceber isso. O resto acomoda-se.


4 comentários:

Catarina disse...

Tenho dificuldade em aceitar as marcas do tempo. Tento minimizá-las mas nem sempre consigo porque o tempo é mais forte que eu. Acabo por tentar esquecer e recordar, simultâneamente, que as energias (as minhas) deverão ser canalizadas para algo mais produtivo.
Abraço : )

mfc disse...

Gostei muito desta reflexão inteligente e muito bem elaborada.
Os meus parabéns, Luísa, e um beijinho.

Vítor Fernandes disse...

Sobre o tempo, a reflexão é a tempos. O tempo tem todo o tempo para fazer ou desfazer.

AC disse...

Luísa,
Gosto de ver as suas incursões por este tipo de escrita. Deveria tentar mais vezes.

Beijo :)