quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Contas simples

Está uma chuva mansa lá fora e há pouco fui ao quintal estender roupa debaixo do telheiro. Digo-te da chuva mas imagino que, também do teu lugar, a estás a ver. Deves até senti-la bem melhor que eu, nessa incorporação da natureza que gosto de imaginar que acontece. Enquanto desdobrava as camisas, as toalhas, o pijama, enquanto pegava nas molas, enquanto prendia cada peça de roupa, olhei para trás. Olhei e vi-te no tempo em que me contavas histórias de mim. Olhei e vi aquela história de brincar na praia e da euforia da construção de amizades. É fácil Mãe… Vês? Já arranjei uma amiga. E arrastava a Lili para as pequenas poças de água junto às rochas. Contavas-me dessa minha habilidade para ganhar amigos e foi essa memória mediada que hoje resgatei. Era fácil Mãe. Mas hoje, debaixo do telheiro, sob a chuva mansa, contas feitas, pesam mais os que perdi.

13 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Lindo!

AFRODITE disse...


Tu tens o dom de me emocionar...

Um beijo Luísa
(^^)

Vítor Fernandes disse...

Pesam sempre tanto os que perdemos. E escrito assim, até arrepia.

Pedro Coimbra disse...

Muito, muito bom!
Bfds

Miss Smile disse...

A melhor maneira de recordar as pessoas que perdemos é sermos a pessoa que elas ajudaram a delinear em nós. Talvez esta seja a melhor forma mais simples de fazer contas...

Um beijinho, Luisa

bea disse...

Pesam? Porquê? Porque a desanimaram e não valiam a pena? Atire esse peso fora, há quem não nos mereça como amigos. Ou pesam porque morreram? Esses não pesam nunca, são presença inalterada, já nada fazem para afastar ou reunir. Alguns, nós o sabemos, façam o que fizerem, sabemos que não nos afastam, o amor mútuo sedimentou e tornou-nos indestrutíveis.
Agora é verdade que há essa coisa que é o tempo a passar sobre a ausência física, a falta de eco e dos momentos juntos e com resposta, de boiar naquele líquido amniótico que é a amizade. É para isso que não há resposta feita.
Um dia bom para si

Janita disse...

Um texto que fui lendo sem grande emoção nem sobressaltos...até chegar à última frase! Aí, as contas ficaram pesadas demais e o coração ficou apertado...Lindo, muito lindo, Luísa.

Beijinhos, bom fim de semana.

Graça Sampaio disse...

Muito bonito!!

Manu disse...

Tu sabes escrever de uma forma que me toca e emociona.
Adorei ler-te.

Beijinhos Luísa

Os olhares da Gracinha! disse...

Por momentos...recordei minha Mãe!!!
bj

Gaja Maria disse...

Pesam sim os que perdemos. Que bonita forma de o dizer :)

Teté disse...

Infelizmente, ao envelhecer vamos perdendo amizades. Umas pela vida diferente e noutras paragens que escolheram, outras pela morte...

Ana Freire disse...

Um pedaço de leitura deliciosa!...
Adorei cada palavra!!!
Beijinhos
Ana