segunda-feira, 14 de junho de 2010

Espelho à cabeceira



Tenho desde hoje à cabeceira, fazendo companhia a mais dois livros que lá moram por estes dias, um “Espelho Íntimo” saído do Ofício Diário, que tem uma porta de entrada aí ao lado, na coluna da direita…


E sorrio porque sei que me vou deliciar a ler palavras de Luz, reflexos de vidas, cenários fluidos, mansas paisagens.

E prevejo que, tal como acontece quando leio o que o poeta nos deixa diariamente no seu Ofício, me vou perguntar como é possível dar tão claro sentido a todas as palavras

2 comentários:

mdsol disse...

Também gosto muito da escrita do autor que só li ainda, confesso, no blog!

Les beaux esprits se rencontrent. .... :))))

Helga disse...

Parece ser interessante por tudo. Os espelhos são sempre fiéis ao que reproduzem, é por isso que ás vezes os evitamos olhar por muito tempo.

Já espreitei o Ofício Diário e também gostei bastante. A paz encanta-me sempre.

Boas leituras. Beijinho :)