sábado, 10 de setembro de 2011

Recomeço



Sacudo a areia. Lavo as toalhas de praia e o bikini. Arrumo o guarda-sol e o saco que me saiu em brinde numa revista feminina. Verifico a marcação de página nos livros cuja leitura ficou por terminar. O sol poente marca o fim das férias e dentro do peito cresce-me um novelo de angústias. Sobram pontas do tanto que ficou por fazer. Desfiam-se pedaços de tarefas projetadas que não chegaram a ser. Sobra-me agora o regresso ao trabalho, que, ali… ao fundo do fim de semana, já espreita com ar de quem não deixa dúvidas sobre quem manda agora. Na garganta, já aperta o nó do inevitável recomeço.




7 comentários:

George Sand disse...

Um bom recomeço
E não se esqueça de deixar um bocadinho da janela aberta para o final do verão entrar.

Teté disse...

Como te compreendo, neste momento sinto exatamente o mesmo! :)

Beijocas e bom regresso às lides diárias!

Catarina disse...

Nunca me teria expressado tão bem como tu para expressar os mesmos sentimentos.

Helga disse...

Eu não saberia explicar melhor o que se sente quando acabam as férias. Revi-me em cada palavra tua, melhor, senti cada uma delas.
Desejo-te um bom regresso à normalidade...:)

Bjs

Briseis disse...

De tanto que se escreveu nestes dias acerca do fim das férias, o teu texto é belíssimo, cheira ainda a sal e deixa já uma nostalgia pelo que findou tão rápido...

Isa GT disse...

E o pior será que, nos próximos 12 meses, não nos faltarão nós na garganta.

Bjos

Anónimo disse...

Ui, e que nó!
Mas não lhe vou dar confiança. A minha técnica é começar já a pensar nas próximas férias...

Agora tenho que dizer, outra vez: que linda fotografia!

Rog