sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Glycol

Já não se fazem produtos de beleza como antigamente.
Folheando um Almanaque dos anos 1940, descobri o fabuloso Glycol. Segundo o anúncio, esta maravilha amaciava a pele, dava aos lábios a maior frescura, evitava o cieiro, dava a todas as peles o raro encanto da mocidade, curava o crestado do sol e o queimado da praia, bem como todas as impurezas e estragos da pele… e ainda era um excelente fixador para o pó de arroz. Numa fórmula inédita da VAP – Ventura d’Almeida e Pena, o Glycol, então proclamado o ideal da pele, só podia ser um daqueles produtos que todas nós merecemos.
Não sei até quando foi comercializado. Mas eu, nascida nos anos 60 já não vim a tempo.

10 comentários:

Gi disse...

Não sei, não sei. Há uma dúzia de anos apareceram produtos para uso dermatológico à base de ácido glicólico, o mais popular entre outros alfa-hidroxiácidos. Talvez o Glycol fosse um precursor.

luisa disse...

Gi
A minha ignorância na matéria levou-me a googlar o termo, mas só cheguei a páginas em inglês que se referiam a um "alcool" associado, salvo erro, a armamento, explosivos ou algo do género... assustei-me logo :))

redonda disse...

Temos é de começar um abaixo-assinado para termos o Glycol de volta!!!

Teté disse...

Ora, agora tens a baba de caracol, que a acreditar na publicidade faz milagres. Isto para quem acredita nestas publicidades televisivas do antes e depois, está claro! :)))

Bom fim de semana, Luisa!

luisa disse...

Redonda,
Apoiado!

Teté,
Pois é.. até já comprei um desses no supermercado, mas milagre... só a vida :)) Bom fim de semana também.

Turista disse...

Querida Luisa, afinal, anda-se por aí a comprar seruns caríssimos e nós já cá tínhamos a fórmula mágica. ;)

luisa disse...

Turista,
nem mais :))

Catarina disse...

Eu assino. Queremos o Glycol de volta.

Briseis disse...

Hum... a minha tia tem montes de sardas e manchas na cara e a baba de caracol realmente melhorou-lhe muito o aspecto... Quanto ao Glycol milagroso, até podia ser muito bom mas naõ respeitava a estratégia comercial de hoje, que é: para quê fazer um creme que faz tudo, quando podemos fazer um para as olheiras, um para o queixo, um para exfoliar, um para hidratar, um para dar luminosidade, um para rejuvenescer, um para os lábios, um só porque tem um cheirinho agradável... e por aí fora. =)

luisa disse...

Pois queremos, Catarina... :)

Briseis,
Lá está... por termos tanto, estamos em vias de acabar sem nada :(