sábado, 12 de fevereiro de 2011

A vida secreta dos objectos - O termómetro

Até que enfim! Estava a ver que não chegava a trabalhar este Inverno. Isto de um termómetro estar no desemprego na maior parte do tempo é aflitivo. Já andava a ficar desesperado, fechado ali naquela gaveta da cómoda, entre papéis e carteiras em desuso, com não sei quantas caixas de óculos que deixaram de servir a encalhar constantemente no meu invólucro…
Mas vá lá… há três dias que entrei ao serviço, a monitorizar a febre dela. Pegou-lhe finalmente o bicho e assim sempre me dá o que fazer. Só que em breve acaba-se o trabalho e lá vou eu ficar novamente arrumado.
O que eu gostava mesmo era de ter conseguido um lugar na enfermaria do hospital. Aí sim é que um termómetro se vê realizado. Diariamente em funções, medindo febres e febrões, ai… quem me dera!
Enfim, a cada um a sua sorte. Olha, lá vem ela para mais uma medição. Deixem-me aproveitar enquanto é tempo.


4 comentários:

Catarina disse...

Não imaginas como me agrada ler A Vida Secreta dos Objectos! Que imaginação!
Olha... as melhoras! : )

Manuela disse...

Querida luisa, pelos vistos, o melhor é desejar-te rápidas melhoras!
Beijinhos

Fê-blue bird disse...

Já vi que por aqui há febre, febre de sábado à noite ;-)

Beijinhos e as melhoras

Catarina disse...

Quererá isto dizer que não vai haver passeio de domingo?
Estás melhor? : )
Abr