sexta-feira, 23 de junho de 2017

De novo as noites quentes

De novo as noites quentes e debruço-me na varanda sobre a diminuta luz de um ocaso sem rubro no céu. As paredes quase queimam, ainda. Sinto-lhes o bafo de encontro ao meu ventre enquanto apoio os braços no rebordo que me separa do ar. Lá em baixo ouve-se um frescor. A água da rega canta num doce murmúrio enquanto anima as dálias do canteiro que borda a rua. E as roseiras. E os brincos-de-princesa. Queria-me agora flor, de pés firmados na terra molhada. Queria-me agora flor recebendo as gotas aspergidas pelas mangueiras. Acende-se, entretanto, o candeeiro público, aqui junto ao meu quintal. Cai a noite. Cessa a rega. Cantam os grilos.

9 comentários:

bea disse...

Quentes, sim; mas não tão castigadoras como as que passaram. Este é um calor que se suporta.

papoila disse...

Por aqui tudo muito mais fresco, ontem até tive que ir buscar uma mantinha :))
A casa já arrefeceu e voltou ao normal.
Com calor o melhor é tornar-mo-nos florinhas e ligarmos a mangueira!
Bjs bom fim de semana

Victor Barão disse...

Um cenário muito literário _ desde logo nas inspiradas palavras da Luisa.
Bom fim-de-semana, se possível com um pouco menos de calor, porque tudo o que é demais também não presta!...

CCF disse...

Tantas vezes também me quis flor ou árvore e é mais do que literatura, é embevecimento pela natureza.
~CC~

Elvira Carvalho disse...

A minha casa é um pavor de Verão. Bate-lhe o sol, desde que nasce até que desaparece. Não tenho ar condicionado e a casa chegou aos 36 graus há dias. Neste momento estão trinta. Isto apesar de ficar todas as noites tirar as janelas de vidro r ficar só com umas de rede, na tentativa de refrescar a casa. Claro porque não vivo no rés-do-chão.
Tem vantagens, no Inverno, pois nunca precisei de aquecimento.
Abraço e bom fim-de-semana

Rui disse...

Isto que escreves é verdadeira poesia em forma de prosa, Luisa ! :)

Sobre o calor, cá por cima, estas duas últimas noites já não têm nada a ver com as anteriores !
Com uma boa gestão de portas e janelas, horas do dia e da noite, a temperatura não baixava dos 26 graus dentro de casa ; agora sim, já anda pelos 23 ! :)) ... e estes 3 graus são absolutamente notórios pela diferença !

Graça Sampaio disse...

Noite tipicamente algarvias... Já tenho saudades.

Beijinho.

Gaja Maria disse...

Difíceis estas noites quentes, roubam-me o sono...

luisa disse...

Bea,
Por cá, a noite passada é que já não foi tão quente. Mas elas vão e voltam. :)

Papoila,
Isso da mangueira é muito bom. Neste tempo, lavar a rua (as varandas, o pátio) é um verdadeiro prazer. :)

Victor,
É verão. Que fazer senão suportar o calor? :)

CCF,
Ou flor, ou ave, ou borboleta. E se não somos, contemplamos. :)

Elvira,
A minha também é muito quente. Temos que arranjar estratégias. Nestas noites, abrem-se portas de varandas e janelas para que o ar circule.

Rui,
Obrigada por essas palavras. :)
Ontem e hoje parece que está mais ameno.

Graça,
Nestas noites quentes, no meu tempo de criança, dormíamos na varanda sob o céu de estrelas. :)

GM,
Sem duvida. Para além das noites serem mais curtinhas são tão quentes que ficamos em dívida com o sono.