terça-feira, 13 de agosto de 2013

O sonho

Deve ter sido breve, como imagino que são os sonhos, mas chegou para juntar cenas tão díspares como a água do mar invadindo à aldeia situada a pelo menos cinco quilómetros da costa, a descida de uma encosta por meio de uma estranha estrutura suspensa quase semelhante a uma grua e a chegada a um campo de cultivo onde cresciam abóboras-chilas.

Não sei se a junção destes assuntos tem algum significado mas que é um tanto estapafúrdia, é.


6 comentários:

Existe Sempre Um Lugar disse...

Olá, poe vezes sonhamos o que registamos no nosso cérebro uns tempos atrás, o que relata fez-me lembrar um tsunami, lembra-se de algum que entrou milhares de metros destruindo aldeias e que virou um comboio com a sua força; lembra-se?
Por vezes temos sonhos que reflete o que se passou e mexeu connosco.


ag

Teté disse...

Também nunca encontro explicações nos sonhos, exceto se influenciados por qualquer coisa que vimos, lemos ou nos impressionou... :)

Beijocas!

Graça Sampaio disse...

Mar e campo! Confusão nessa cabeça! Está na altura de saíres do Algarve e ires passar umas férias ao Alentejo... bem no interior, claro!

Beijinhos e bons sonhos!

Rosa dos Ventos disse...

Quanto mais estranhos são os sonhos melhor andamos psicologicamente...isto digo eu por experiência própria! :-))

Abraço

Rui Pascoal disse...

Uns sonhos são doces e outros são esfarrapados, como as abóboras-chilas...
:)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

freud talvez explique.Eu não ... :-)