sábado, 16 de julho de 2011

Tristeza




Rios de tristeza brotaram-lhe dos olhos. Numa torrente incontrolável inundaram-lhe o quarto, a sala, a cozinha… As águas em fúria soltaram-se pela porta e pelas janelas. Ensoparam os caminhos. Por fim, cansadas, aconchegaram-se numa vala, formando um lago que ela tratou de cercear com uma barreira de esquecimento. Aguarda agora que o sol aqueça forte e que as águas se evaporem, separando as boas gotas dos detritos que arrastaram.

2 comentários:

Anónimo disse...

E que tristeza é esta que inunda tudo?!
Espero que nada de muito grave, apesar da violência com que se manifestou...
Uma tempestade de Verão, talvez?
Em todo o caso, se o sol não for suficiente para ajudar a reparar os estragos, eu estou por aqui.
Rog

luisa disse...

Obrigada Rog...:) há dias assim...