quarta-feira, 10 de março de 2010

O menino que aprendeu a dar pontapés

Estacionei o carro no parqueamento subterrâneo e dirigi-me para o acesso ao hipermercado. Comecei a ouvir umas vozes alteradas. No meu campo de visão apenas um casal com uma criança que devia ter uns quatro ou cinco anos. Chegando mais perto percebi que não havia altercação nenhuma. Era mesmo a voz do pai a falar para o filho. Na verdade percebi que encetava uma brincadeira qualquer. Passando por eles captei a “instrução” do pai:

- Vá…dá um pontapé nisto!

E exemplificando pontapeou um daqueles pilaretes de plástico que fazem a demarcação dos lugares de estacionamento com os corredores de passagem dos peões.


O pequeno seguiu-lhe o exemplo e pontapeou o pilarete. Prosseguiram o seu caminho com o pai sempre a falar aos gritos.

3 comentários:

Helga disse...

Uma táctica de defesa ou apenas um pai aterrorizado? Não sei...

luisa disse...

Não sei, Helga. Pareceu-me algo absolutamente gratuito. Será assim que se formam vândalos? A falta de respeito pelo que nos rodeia, seja natural ou construído é tão frequentemente visível...

Helga disse...

Sim, mas sabes que ainda persiste o estigma do macho. Aquele que tem que dominar e ser melhor e mais forte que os outros, ainda que isso implique actos como esse na formação de uma criança. No fundo as gerações de hoje, são o resultado das falhas cometidas na geração anterior e assim há-de ser sucessivamente.

Bjs :)