segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Um verso

Abro um pequeno bloco de notas para fazer correr os aparos das canetas que hoje estiveram de barrela. Em dia de arrumação de uma ou duas gavetas, resgatei-as do esquecimento, lavei-as em abundante água para remover a tinta seca e abasteci-as, cada uma com a sua cor.

Mas dizia eu, o bloco de notas. O bloco de notas estava quase por estrear. Apenas tinha um verso anotado numa folha. O verso e o sítio de onde o copiei. Estava manuscrito num exemplar de 1691 do Magnum dictionarum latinum et gallicum, de Petrus Danetius e não sei quem o escreveu.  Em todo o caso, roubei-o.

“Estas lágrimas que choras
Deviam cair no meu seio,
Como um punhado de amoras”

14 comentários:

Ana Freire disse...

O que prova, que não são precisas muitas palavras... para se transmitir coisas lindas...
Adorei o texto... e o pequeno grande verso...
Beijinhos! Desejando-lhe a continuação de Festas Felizes, na companhia dos seus...
Ana

A Nossa Travessa disse...

Querida Luisinhamiga

E vem aí dentro de dias 2017 oxalá que seja menos mau do que este 2016 felizmente prestes a acabar. E junto o desejo de que o novo traga muita saúde, paz, amor e solidariedade.
Henrique, o Leãozão

Janita disse...

Gostei do texto e muito dos versos; das lágrimas derramadas no seio amado, quais amoras negras...:)
Quando menos esperamos, descobrimos pequenos tesouros.

Beijos e continuação de boas festas, Luísa.

xilre disse...

Borges deixou os livros da biblioteca de Buenos Aires, que dirigiu, cheios de anotações por si manuscritas. Não acho impossível, sequer improvável, que existisse por lá um exemplar anotado desse Magnun Dictionarium de Danetius.

Graça Sampaio disse...

E roubaste muito bem porque é lindo de mais!! Tão simples e tão belo. Boa escolha, Luísa.

Briseis disse...

Desculpa-me, Luísa e demais leitores que elogiaram os versos nos seus comentários... Mas não achei graça, ou não percebi o poema... =) a poesia tem destas coisas, há pessoas que sentem uns versos e outras que sentem outros... Eu não percebo a graça ou beleza de nos cair um punhado de amoras em cima! =) mas aprecio sempre a poesia das tuas palavras, mesmo quando em prosa! Um beijinho e um muito feliz 2017!

cabecinhapensadora disse...

Os poetas são assim, fazem bonita a tristeza, quase nos apetece chorar se as lágrimas arrastam a dor em amora.

Rui Espírito Santo disse...

Creio que (quase ) todos nós temos lá por casa vários "baús" de recordações ou simples gavetas que raramente se abrem . E quando tal acontece, lá aparece uma ou outra coisa que "mexe" verdadeiramente connosco. Coisas curiosas, que nos fazem recordar alegrias, tristezas, mas seguramente nos trazem melancolia do passado !
Corre-se sempre um risco mais ou menos voluntário e consentido !

Existe Sempre Um Lugar disse...

Feliz ano de 2017 com a concretização de todos os sonhos.
AG

teresa dias disse...

Lindo, lindo!
Bom 2017... com muitos poemas.

Manu disse...

Não são precisas muitas palavras para dizer algo que nos emociona, como foi o caso.
Eu ando a limpar coisas velhas, para dar espaço a outras novas em 2017 e nem imaginas o que tenho encontrado...e concluo com alguma tristeza que dantes escrevia melhor que agora.

Beijinhos

Rosa Carioca disse...

Não podia deixar de passar por aqui para desejar um Lindo e Feliz 2017!!!

Manel Mau-Tempo disse...

tu desenterras tesouros...

cantinhodacasa disse...

Muito belo.
Há dias arrumava umas caixas onde guardo fotografias e cartas, descobri umas quantas de uma amiga que esteve cerca de oito anos e trabalhar em Londres.
Li uma, prometi que vou ler todas as outras.
Sabe bem recordar.