quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

A pressa e o castigo

Calhou de ir apressada, ao fim da tarde, fazer o abastecimento de chocolates e afins para a época natalícia. Entrando no supermercado que sei, por ser costume, ter castanhas glaceadas, iguaria que não dispenso, avisto uma conhecida no início do primeiro corredor, onde se expõem os brinquedos. A pressa diz-me que se vou por ali fico a falar com ela e atraso-me. Desvio, por isso, a rota e vou direta ao corredor dos doces onde, habitualmente, estão os chocolates festivos. Fora uns ferrero, uns rafaelos e vulgares tabletes de chocolate, não vejo por ali sombra de Natal.

Irritada com a minha infrutífera investida, acabo por comprar alguns produtos necessários à cozinha e passo pela caixa onde, enquanto pago a conta, desabafo com a menina que já me estende o talão da máquina. Pergunta-me onde procurei e explica-me que não, que este ano decidiram juntar o Natal todo no corredor de entrada do supermercado, aquele onde não passei para fugir da minha conhecida e da presumível arrastada conversa.

De castigo, fui de volta ao corredor do Natal e, contas feitas, com uma passagem suplementar pela caixa, perdi o tempo e perdi a conversa. Só se salvaram mesmo os marrons glacés.

16 comentários:

bea disse...

Hummm....também fui ao super à pressa, tinha uma marcação e gosto de chegar a horas aos compromissos. Atrasei um pouco na caixa onde, em hora de ponta, estava um aprendiz e uma ensinante ainda mais lenta que ele. Acho até que resmunguei demais e demasiado alto, às vezes dou por mim com certo costado de peixeira que até a mim escandaliza. Mas despachei-me porque me mudei para a caixa do lado. E cheguei a horas.
Fui investigar o que sejam marrons glacés. E afinal são castanhas cozidas com banho de calda de açúcar. Aposto que demasiado doce.

Pois...nunca saberá o que seria melhor para si. Como só podemos cumprir uma hipótese em cada vez, o resto permanece apenas plausível.

Janita disse...

Sempre ouvi dizer que a pressa é inimiga da perfeição...:)

Pedro Coimbra disse...

Então não se perdeu tudo.
Desejo-lhe, a si e família, um Santo Natal e um Maravilhoso 2017.

Miss Smile disse...

Costuma-se dizer, quanto mais depressa, mais devagar :)

Rui Espírito Santo disse...

A Janita "roubou-me a frase" ! eheheh ...
... mas pelo menos atingiste o objectivo ! :)) ... e se queres saber, eu não faço a menor ideia do que é isso das "castanhas glacés" ! rsrs

Beijinhos sem pressa, Luisa ! .))

Os olhares da Gracinha! disse...

As pressas por vezes tem disso!
Valeram "os docinhos"!!!bj

Teté disse...

As pressas às vezes têm dessas... ;)

papoila disse...

Foi uma opção menos feliz!
Para a próxima não fujas da conversa se calhar ela precisava de conversar...
Beijinhos e bom apetite.

Flor de Jasmim disse...

Também costumo fazer desses desvios, mas por vezes sou surpreendida!

Castanhas só mesmo assadas e cozinhadas, cristalizas são muito doces.

Bom fim de semana Luísa.

Beijinho

Manel Mau-Tempo disse...

os atalhos são de evitar :)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Foi castigo! :-)

Manuel Veiga disse...

isto de virar costas aos amigos (ou evitar) é sempre problemático!
o Menino Jesus não gostou, está bom de ver...

Majo Dutra disse...

Subscrevo a sensata Miss Smile, no entanto,
são percalços que acontece a qualquer um...
Bj ~~~~

Gaja Maria disse...

Desde que haja marrons glacés, nunca nada está perdido :)

Briseis disse...

o Karma, Luísa... o Karma tem destas coisas. Tem um sentido de humor retorcido, quem mexe os cordelinhos do Universo... =)

Ana Freire disse...

Às vezes as pressas... dão em vagares...
E é sempre aborrecido confirmá-lo... das formas menos favoráveis para nós...
Beijinhos
Ana