terça-feira, 13 de setembro de 2016

A leitora

A leitora abre o espaço num sopro subtil.
Lê na violência e no espanto da brancura.
Principia apaixonada, de surpresa em surpresa.
Ilumina e inunda e dissemina de arco em arco.
Ela fala com as pedras do livro, com as sílabas da sombra.

Ela adere à matéria porosa, à madeira do vento.
Desce pelos bosques como uma menina descalça.
Aproxima-se das praias onde o corpo se eleva
em chama de água. Na imaculada superfície
ou na espessura latejante, despe-se das formas,
branca no ar. É um torvelinho harmonioso,
um pássaro suspenso. A terra ergue-se inteira,
na sede obscura de palavras verticais.
A água move-se até ao seu princípio puro.
O poema é um arbusto que não cessa de tremer.


António Ramos Rosa
(Volante Verde, 1986)



14 comentários:

Mona Lisa disse...

Belíssima e delicada foto em total sintonia com o poema.

Beijinhos.

Majo Dutra disse...

A Ramos Rosa ocupa um lugar muito especial entre os meus poetas preferidos.
Grata pelos ótimos momentos de leitura.
Beijinhos, Luisa.
~~~~~~~~~~~~

Gaja Maria disse...

Viva a poesia :)

Manel Mau-Tempo disse...

nã sei que pássaro é... mas é lindo :)

Tétisq disse...

gosto da forma como lê a natureza, se deixa tocar por ela e nos toca através dela.
bela foto, como sempre!

Teresa Borges do Canto disse...

A leitora perfeita é um belo poema. :)

(que ternura este passarinho)

Janita disse...

Também a tua foto é um belo poema...
digno da bela poesia de António Ramos Rosa! :)

Pedro Coimbra disse...

Gostei de ler.
Faz bem à alma.

Portugalredecouvertes disse...

Bom dia Luisa, às vezes encontro sugestões nos blogues amigos

e passo a colocar no meu

http://poesiesenportugais.blogspot.pt/

beijinho
Angela

bea disse...

Os olhos dos pássaros têm um certo tom de ferocidade intrigante, quem voa devia sorrir com o corpo todo.
António Ramos Rosa é um poeta difícil, quase tão difícil como Herberto. Mas as imagens que pintam não existem senão neles. São raras.

Mister Vertigo disse...

António Ramos Rosa é um poeta incontornável, um desses poetas investigáveis que escreveu de forma quotidiana ao longo da vida, oferecendo-nos poemas inesquecíveis e depois temos essa bela fotografia que acompanha o poema.:)
Boa Tarde

Laura Ferreira disse...

maravilhoso.

Flor de Jasmim disse...

Magnifica escolha, dois poemas, a foto é um autentico poema.

Beijinho Luísa.

Teté disse...

Muito gosto eu de fotos de passarinhos... :)