sábado, 2 de julho de 2016

O mar

Hoje ofereço-te o mar. Pode ser? Não que o tenha aqui fisicamente, não. À vista, tenho dele apenas uma pequena nesga que vislumbro numa linha de horizonte ligeiramente côncava e recortada pelo verde das árvores. Mas tenho-o todo guardado em mim, emoldurado dentro do peito. E há dias como este, em que se lhe soltam as vagas e não consigo contê-lo.

13 comentários:

Jaime Portela disse...

Uma oferta original.
Tal como o texto, que é excelente.
Luísa, tem um bom fim de semana.
Beijo.

Isabel Pires disse...

Luísa, uma nesga de mar é imenso.
Gostei do teu texto!
Bom domingo :)

Maria Eu disse...

E nós, que passamos aqui, sentimos os salpicos das ondas.

Beijos, Luísa :)

Manel Mau-Tempo disse...

que belo presente :)

Janita disse...

É com prazer que aceito essa tua oferta, Luísa!
O meu fascínio pelo mar é imensurável e o meu temor desmedido.
Quem sabe se esse mar de vagas soltas que tens guardado no peito, não me faz mais intima do mar que tanto temo?
Venha ele...:)

Beijinhos! :)

bea disse...

Ter o mar dentro de si e oferecê-lo é uma coisa mesmo muito bonita.

Majo Dutra disse...

~~~
Muito belo e interessante

o teu texto em prosa poética, amiga.

Deixa soltar

as vagas de belas metáforas que trazes no peito!

Beijinho.
~~~~

Sara com Cafe disse...

que declaração linda.

Ava Pain disse...

Aceito, Luisa. :))

Portugalredecouvertes disse...

às vezes chega o cheiro da maresia até às nossas varandas, hoje não o vento não está de feição, mas vemos a linha azul ao longe mais escuro do que o céu, assim sempre presente e prometendo novos mundos !

Bia Hain disse...

Me emocionei com seu escrito... o mar é como sentimentos, por vezes tranquilo, por vezes agitados, por vezes sedentos por transbordar... deixemo-os livres! Abraços!

Benó disse...

Deixa as vagas se soltarem e correrem pela praia. Faz bem ao peito abrir-se e soltar-se. Tem uma boa semana com mar calmo.

Teté disse...

Há dias assim em que o mar parece estar a ondular no nosso peito... :)))

Beijocas