quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Princesa


Ocupa sempre mais ou menos o mesmo lugar na igreja. Senta-se na coxia do quinto banco a contar da frente e é impossível não dar por ela. Comecei a vê-la há alguns meses atrás e não deve faltar um domingo sequer à missa pois sempre que lá vou, lá se encontra ela.

Destaca-se no meio da assembleia que, na generalidade veste de forma sombria. Ao contrário, ela apresenta-se sempre de cores claras e ostensivamente femininas. Com frequência usa capelina sobre os seus cabelos louros que parecem algo rebeldes. O penteado nunca está muito disciplinado.

No último domingo em que a vi, usava umas calças de cetim de cor pérola por baixo de um casaco comprido de pelo da mesma cor. Porém, na maioria das vezes em que a vejo usa vestidos longos e rodados. Usa sedas, veludos e cetins dentro dos quais se move em pequenos passos leves e delicados, quando sai do banco para ir comungar.

Presumo que não deve ser portuguesa, mas posso estar enganada. O que me parece certo é que ela não é deste tempo. Vejo-a aos domingos na missa. Figura etérea e flutuante nos seus vestidos de folhos e laços. Desliza, suave, entre as velhas de roupa preta e cinzenta que se sentam perto dela. Em comum com esta sua vizinhança só tem as rugas do rosto que contrastam com a leveza dos seus passos e a frescura dos seus vestidos de princesa.

11 comentários:

redonda disse...

Parece uma figura de um romance...

Teté disse...

A mania das portuguesas se vestirem de escuro, com predominância para o preto, a partir de certa idade é uma coisa que me encanita... :)

Lembro-me de aqui há largos anos também ter ficado muito espantada com a avó dos meus primos ingleses: usava cores claras, calças e ténis, apesar da cabeleira branca, das rugas e de ter a idade da minha avó... :D

Beijocas!

Pedro Coimbra disse...

E fez-me lembrar de uma Senhora a quem eu chamava a minha namorada de 90 e poucos anos.
A Dona Aninhas, que tinha uns olhos lindos e doces, e que partiu já eu estava em Macau.
Guardo muitas recordações dela, inclusive preciosidades que me ofereceu.
A irmã dela foi a primeira mulher que se formou em Direito em Portugal.
Uma das preciosidades que aqui tenho é o anel de curso dela.

Catarina disse...

Pela descrição que fazes não me parece ser uma senhora portuguesa ou então viveu bastante tempo no estrangeiro. As senhoras idosas portuguesas continuam, pelo que me apercebo, a preferir as cores escuras e a aceitarem a passagem do tempo sem oporem resistência. Aqui, tal como provavelmente nos países nórdicos, as pessoas de idade avançada vestem-se de cores muito claras. Vejo-as de cor de rosa, azul claro... e os homens também. Até mesmo a sua forma de andar é desenvolta. Conheci uma senhora de 80 e poucos anos que ia à piscina todas as manhãs bem cedo. Parecia ter muito mais energia que eu.
A minha mãe preferiu sempre as roupas claras, não garridas, o que sempre me agradou. E agora que sou eu a escolher (aliás já há algum tempo) dou igualmente preferência às suas cores de eleição embora o estilo tivesse passado a ser mais prático atendendo às circunstâncias. É o que se chama envelhecer com graciosidade! : ) Que todas nós possamos envelhecer desta forma!
Mas que grande comentário!
Abraço

Catarina disse...

Pedro, essa senhora era de Lisboa ou de Coimbra? Pergunto porque tenho um amigo cuja mãe se formou em direito e pensei que ela tivesse sido a primeira advogada em Portugal, embora acabasse por nunca ter exercido a profissão. Provavelmente, o que ele me disse foi que a mãe foi uma das primeiras.

Ana disse...

adoro pessoas que se destacam, que são únicas, eu gostava de ser assim mas não tenho essa noção de estilo...
beijos

Rosa dos Ventos disse...

Em países cinzentos do ponto de vista do tempo, não da economia, as mulheres têm que se destacar pela cor e nunca mais a largam para onde quer que forem!
Quando se fala na blogosfera de senhoras de idade fico sempre a pensar qual será a bitola! :-))

Abraço

Arco Iris disse...

Mesmo que não se queira , não podemos ficar indiferentes a essa personagem que intitulou de Princesa.Eu também aprecio bastante.
Achei piada ao comentário da Rosa dos Ventos, sobre a blogoesfera das senhoras de idade, é que enfiei o carapuço ( no bem sentido) e gosto muito de cá andar...sinto-me mais nova.
Beijinhos

Briseis disse...

Há pessoas que trazem consigo uma magia que torna especial cada vez que as vemos... deu vontade de conhecer essa princesa!

Ana disse...

Que bela descrição, até parece que a consegui ver.
Gosto de pessoas assim, diferentes que se destacam pela sua originalidade.

Beijinhos, bom fim-de-semana e um excelente2013

luisa disse...

Gabi,
E quem sabe quanto romance vai na vida dela? :)

Teté,
É verdade que a maioria das pessoas mais velhas, por cá, tendem a vestir de escuro. Talvez sejam reminiscências dos prolongados lutos de antigamente. Mas também há muita juventude de negro vestida :)

Pedro Coimbra,
Bonitas recordações...

Catarina,
São diferenças culturais... mas olha que eu sempre gostei de preto... até mesmo em certas peças para crianças... Apesar de não ser gótica... não senhora :)

Ana (Mortal e Rosa),
E quando vemos pessoas assim,que marcam a diferença, ainda menos estilo achamos ter...não é?

Rosa dos Ventos e Arco Iris,
Pois é. Qual será a bitola para classificar as "pessoas de idade"? Provavelmente serão todas as que nos parecem mais velhas do que nós. Na certeza de que nós nunca nos sentimos velhos :)

Bríseis e Ana Tavares,
... e conseguem despertar o nosso olhar e a nossa curiosidade.