quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Os dias


Nem o azul diário do céu parecia aliviar-lhe o tormento. Nem o sol que teimava em brilhar lhe aquecia a alma. Nem o riso das gentes que alegremente cruzavam o seu caminho lhe contagiava a vida. Nem o esforço que fazia para esquecer a dor resultava. Nem a raiva que sentia lhe acalmava o ser. Até que um dia, fim de tarde, saindo à rua, percebeu.

Nada como um dia atrás do outro.

4 comentários:

Margarida disse...

Gosto tanto mas tanta da imagem! É vem verdade Luísa, nada que um dia atrás do outro. Beijinhos (muiiiiitos)

Teté disse...

Belíssima fotografia!

Quanto ao resto, às vezes demora a perceber, mas mais tarde ou mais cedo todos acabamos a seguir o lema "Carpe Diem"! :)

Beijocas!

Vítor Fernandes disse...

Uma excelente conclusão, para um texto em crescendo e com excelente ritmo. Bonita a foto.

Catarina disse...

Gosto da foto e do texto.
Abraço