quarta-feira, 27 de abril de 2011

Sapatos

Estou muito satisfeita. Comprei hoje um par de sapatos e já se sabe, esta é uma compra que deixa qualquer mulher feliz. São uns simples mocassins castanhos. Razinhos. Sim, que eu não sei andar devagar e além disso tenho uma relação de amor e ódio com os sapatos. É que quase todos me magoam os pés. Especialmente os que acho mais bonitos. Saltos altos então... Saem uma ou duas vezes à rua e passam o resto da vida, novinhos em folha, na sapateira.


Eu sei que são lindos os sapatos de salto alto. Eu sei que nós, mulheres, parecemos logo outras quando os calçamos. Mas também sei que nos ficam muito melhor se nos mantivermos paradas. Quando caminhamos, a história é outra. A não ser que se tenha muito treino, equilíbrio e elevada capacidade de sofrimento, a coisa fica frequentemente ridícula.


Ainda hoje, pela manhã, a caminho do trabalho, vi uma mulher que seguia à minha frente no passeio e coitada… como se não bastasse a altura dos saltos ainda tinha que fintar a calçada portuguesa. Sem contar que a forte inclinação do sapato lhe fazia deslizar o pé para a frente, saindo-lhe o calcanhar para fora a cada passo que dava. Resultado: os seus passos receosos e desengonçados nada tinham de elegante. Assim como nada tinham de elegante uns passos iguaizinhos que vi, no verão passado, dados pela estilista Fátima Lopes quando chegava ao concerto da Diana Krall, em Loulé. Coitadinha. A cada passo, ameaçava despenhar-se do alto dos seus vertiginosos sapatos dourados. De que lhe servia a fina silhueta que envergava um delicado macacão preto?


O pior é que os designers de sapatos insistem em aumentar a altura dos saltos. Há uns que parecem verdadeiras andas. E lá vamos nós, fingindo que é muito fácil, fingindo que é como calçar umas luvas. Sim, fingindo. Porque eu não acredito que essas mulheres que calçam sapatos de Pin up ou de Cinderela, Louboutins que sejam, não sofram a bem sofrer. Pois se na minha roda de amigas e colegas, não há uma que não se queixe na hora de comprar sapatos! Digam lá o que disserem (ou não disserem), todas hão de ter uma curvatura do pé demasiado acentuada, ou antes pelo contrário um pé chato. Isso para não falar do joanete. Ou do calo de estimação. E é por isso que eu hoje estou muito satisfeita. Comprei um par de sapatos que não me vai fazer doer os pés.

2 comentários:

Gi disse...

Luisa, subscrevo!
Nem percebo como conseguem as outras mulheres andar por aí de saltos altos finíssimos, e trabalhar o dia inteiro em cima de 12 cm + plataforma.
Quando me esqueço e levo uns sapatos de salto alto para o trabalho arrependo-me sempre. E não há, não há hoje em dia nada com 5 cm de salto: ou 12 ou nada.
Que sina!

Teté disse...

Estou inteiramente de acordo: para andar de saltos altos é preciso saber, quando não a figurinha é mais de patachoca! :)))

Pessoalmente, não sei! E tenho sempre a sensação que a minha cara denota logo o sacrifício, para além de também ser imensamente esquisita com o calçado!

Tenho apenas dois pares de sapatos de saltos altos, que não calço há anos, mas estão novos. Os do casamento da minha irmã e os do meu. Já os devia ter dado, é o que é... :)

Beijocas!