sexta-feira, 8 de abril de 2011

No trânsito (3)

Enquanto aguardo que o semáforo passe de novo a verde e a fila retome o movimento, um rapaz atravessa a estrada. O meu filho reconhece-o, abre a janela do carro e chama-o para lhe propor boleia para o resto do caminho até à escola. “ Salgadinho…”, chama o meu filho. “Sal…”. E rapidamente o miúdo entra no carro, mesmo a tempo de não prolongar a espera dos carros que pararam atrás de mim. Sigo caminho. Deixo-os à porta da escola. Continuo o meu percurso com o pensamento a recuar até ao tempo em que eu tinha a idade do meu filho. Nessa época, frequentava alguns bailes das sociedades recreativas locais e, sob o olhar vigilante da minha e de outras mães, dançava. Houve uma altura em que dancei com um rapaz que também se chamava Salgadinho. Em 32 anos não me lembro de ter mais alguma vez ouvido este nome.

4 comentários:

Teté disse...

Será que é o Salgadinho filho? Tinha a sua graça... :)

Bom fim de semana, Luisa!

luisa disse...

Teté,
Quem sabe? Filho, sobrinho...

Fê-blue bird disse...

Um nome que deve fazer mal à tensão arterial :D

Beijinhos e bom fim de semana

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Eu ia fazer a mesma pergunta que a Téte...agora apenas acrecento se terá sido apenas coincidência.
Mas cuidado com os salgadinhos, por causa do colesterol!
Boa semana