sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Os patins

Houve um Natal em que ganhei uns patins. Eu devia ter uns dez ou onze anos e lembro-me que foi o presente que mais me desapontou em toda a minha vida. Acho que me desapontou muito mais do que aqueles presentes que ganhamos todos os anos, das tias. As camisolas de interior. As meias. Os lenços de assoar. Esses são presentes que nós já esperamos ganhar e que antes de os receber já estamos conformados com eles. Depois de os receber, então, até verificamos o jeito que dão em muitas ocasiões.

Mas no Natal em que eu tinha uns dez ou onze anos eu não gostei nada de receber uns patins. Acho que até chorei. A minha prima V. também ganhou uns iguais. Não me lembro se ela gostou ou não. Eram uns patins de quatro rodas, sob uma estrutura metálica de duas peças que encaixavam uma na outra permitindo ajustar a plataforma a vários tamanhos. Umas correias de cabedal apertavam sobre os sapatos segurando os patins aos pés. Que desiludida fiquei. Eu queria lá patinar. Medricas como era, nem me atrevia a calçá-los. Teria preferido uma Barbie. Mas nessa época nem pensar em fazer trocas. Tinham-me calhado uns patins e pronto. Só bastante mais tarde me lembro de os usar. Hoje até queria ter uns patins daqueles. Não que me visse agora a deslizar sobre rodinhas. Mas tenho saudades. Saudades de mim.

7 comentários:

Isa GT disse...

Pelos vistos, houve a moda dos patins porque tive uns, exactamente, iguais a esses e, depois de ter experimentado, sempre agarrada... ao que estivesse mais à mão e depois de meia dúzia de bate-cus lol... ficaram a um canto e já nem me lembro o que lhes aconteceu.
Detestei a experiência ;)

Bjos

Catarina disse...

Nunca possui patins! Por uma razão muito simples. Para além de não saber patinar (isso era o menos, aprendia), não havia no mercado (e creio que ainda não há) equipamento de protecção a meu gosto, tipo almofadas grossas que protejam o corpo inteirinho! : )

AC disse...

"Mas tenho saudades. Saudades de mim."
Luísa,
Com mais ou menos patins, só por isto já valeria a pena o texto.

Beijo :)

Anónimo disse...

Pois eu teria adorado receber uns patins.
Só experimentei patinar uma vez. Era já adulta e foi no gelo. Nunca mais vou esquecer aquela sensação: uma falta de control total!
Sim, muito desagradável. Mas que só veio confirmar aquilo que eu já sabia e que afirmei em primeiro lugar: como eu adorava ter recebido uns patins quando era mais nova e ter aprendido a dominar aquelas rodinhas. E como me fascina ver a destreza daqueles(as) que na patinagem artística, no hokey, no hipermercado ou em qualquer parque ou rua fazem o que querem ali em cima!
Rog

Gi disse...

Percebo perfeitamente isso de ficar mais desgostosa com a surpresa do que com as coisas desinteressantes mas habituais que se recebe. É perfeitamente lógico, já que da susrpresa se pode esperar o melhor.

luisa disse...

Isa,
O certo é que agora só vejo patisn em linha, daqueles que já trazem a bota agarrada. Gostava de voltar a ver patins daqueles.

Catarina,
Pois é, dessa "protecção total" também nunca vi...:)

AC,
:)

Rog,
Mas eu também adoro ver quem patina... parece tão fácil. E espectáculos de patinagem artística então... sou fã.

Gi,
Não que os patins não fossem uma boa prenda... mas na época era coisa que não me entusiamava nada.

Caia disse...

Eu tive desses patins... não era uma patinadora exímia, mas lá ia tentando no pátio de casa! :D