quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Devidos efeitos


Reconheço, com efeito,
que não há gente sem defeito,
mas se há feito que me apoquenta,
diria mesmo atormenta,
é o de certa gente
que, invariavelmente,
e com falta de eloquência
me despacha o expediente
com um pouco expressivo
e nada consequente
para os devidos efeitos.

23 comentários:


  1. Trivialidades do mundo do trabalho :)
    Estás a precisar é de férias Amiga!

    Beijinhos, para os devidos efeitos!
    (isto é... o efeito é cumprimentar-te e dar-te um mimo)
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Férias, Afrodite... As minhas ainda vão demorar um pouco a chegar. :(

      Eliminar
  2. Estou com a Afrodite. Venham as férias :))

    ResponderEliminar
  3. Pois está dito e feito um efeito de afeitar.

    ResponderEliminar
  4. Trivialidades do dia a dia!

    Beijinho Luísa

    ResponderEliminar
  5. Como odeio a expressão, é um equivalente de "pois", enquanto chefia, ao despachar um Parecer, devolvi à precedência e perguntei quais eram os efeitos devidos.
    Porque era isso que eu queria saber!! :)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lá está, Pedro, essa é sempre a dúvida. :)

      Eliminar
  6. Sem saber para que servem, deixo um abraço e saio de mansinho.

    ResponderEliminar
  7. O descanso precisas-se :)!!

    Beijos e um dia feliz!

    ResponderEliminar
  8. Existe uma língua própria na administração pública, que tem por expoente máximo o Diário da República e que se designa por "oficialês". É uma língua perfeita para quem não tem nada que dizer, mas escreve um ofício de duas páginas, ou para quem quer comunicar de forma eufemística, que não vai fazer nada para resolver o assunto em epígrafe. Por vezes, até há um ou outro que pretende transmitir uma vontade, um desejo, mas nem se percebe bem qual, no meio de todo aquele linguajar oficial.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. LuisY,
      Apesar de tudo, penso que, aos poucos, pelo menos em alguns serviços da AP, a coisa se vai aligeirando e o oficialês vais perdendo terreno. Mas há sempre os resistentes. :)

      Eliminar
    2. Luisa

      Graças aos céus o e-mail agilizou as comunicações na Administração Pública. Quando comecei a trabalhar no Estado perdiam-se horas a fio a redigir aqueles ofícios cheios de floreados, naquela linguagem insuportável, que depois os directores se encarregavam de corrigir, acrescentado uma vírgula aqui, um ponto acolá, até o texto ficar no ponto certo do oficialês. Agora, resolvo tudo por e-mail sem perder tempo com larachas.

      Eliminar
  9. Tão giro!
    Escrevi essa expressão tantas vezes.... :(

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem nunca escreveu, Graça?... :) Pode até haver situações em que os "devidos efeitos" já são rotinas e os intervenientes não precisam e mais orientação.

      E também há o "para os efeitos tidos por convenientes". :)

      Eliminar
  10. Para os devidos efeitos, declaro que adorei ler estes deliciosos trocadilhos.
    Tiveram eles, em mim, um efeito sem qualquer defeito. Tudo a favor!! :)

    Bom fim de semana, Luísa.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Sendo assim, Janita, quase fica sem efeito este meu preconceito. :))
    Obrigada e bom domingo!

    ResponderEliminar