sábado, 12 de maio de 2018

Uma enfermidade incurável e pegadiça



-Ai senhor! – disse a sobrinha, bem os pode vossa mercê mandar queimar como aos demais, porque não seria novidade que, tendo sarado o senhor meu tio da enfermidade cavalheiresca, em lendo estes lhe aprouvesse fazer-se pastor e ir-se pelos bosques e prados, cantando e tangendo, e, o que seria pior, fazer-se poeta, que segundo dizem é enfermidade incurável e pegadiça.

Miguel de Cervantes, Dom Quixote de la Mancha, Publicações Dom Quixote, 2017.

[no capítulo em que o cura e o barbeiro escrutinam os livros de Dom Quixote, decidindo sobre o destino a dar-lhes]


11 comentários:

Larissa Santos disse...

Maravilhosa publicação :))

Hoje:- Sonhos vazios em desejos por cumprir

Bjos
Votos de Óptimo Sábado.

Cidália Ferreira disse...

Muito bem!!


Especial:- A esperança que busco no meu caminho. {POETIZANDO}
.
Beijo e um excelente fim-de-semana.

Os olhares da Gracinha! disse...

É que ser poeta e ser pastor ... não são tarefas nadas fáceis!
Não conhecia e gostei!!!bj

Célia Rangel disse...

Queimar? Não aprovado! Há que se conservar em alto estilo!
Abraço.

Portugalredecouvertes disse...


oi Luisa!
os poetas são realmente umas pestes, e imortais :)

Janita disse...

Querendo muito crer que seria essa uma doença pegadiça, atirei-me à minha edição de 2004 da MEDIASAT GROUP, S.A. e reli algumas partes deste exemplar d'OS GRANDES GÉNIOS DA LITERATURA UNIVERSAL:
“El Ingenioso Hidalgo Don Quijote de la Mancha”, traduzido pelos viscondes de Castilho e Azevedo.

Tudo muito bem, tudo muito bom, mas não me sinto nada contagiada por essa enfermidade incurável.

Oh, Deus! O que eu dava para ter essa doença e olha que me farto de ler as finezas que de enamorado fez D. Quixote na Serra Morena em belos poemas escritos à sua doce Dulcineia...:)

Beijos, Luísa...cada um é para o que nasce!! :))

bea disse...

Não penso nada assim. A poesia não actua por contágio:)

teresa dias disse...

Que horror!!
Vivam os poetas, viva a poesia!!!
"Dom Quixote de la Mancha" - lembraste muito bem, Luisa.
Beijo e bom domingo.

luisa disse...

Larissa,
Obrigada e bom domingo!

Cidália,
Obrigada e bom domingo!

Gracinha,
Também estou a conhecer agora… :)

Célia,
De facto, quem pode aprovar a queima de livros? Embora alguns tenham sido salvos. :)

Ângela,
Pestes? Vá lá… Um pouco de condescendência. :)

Janita,
Talvez haja condições especiais para o contágio… :)
Pois olha, nunca tinha lido o Dom Quixote e estou a gostar bastante. É muito divertido. :)

Bea,
Dependendo do sujeito envolvido, poderá haver contágio, poderá haver hábito, poderá haver “mal” de nascença… :)

Teresa,
Que horror, não é? Pobre Dom Quixote, que lhe queimaram e esconderam os livros.
Bom domingo!

Gaja Maria disse...

Poesia não é nada disso. Poesia é sentimento, é paixão,...

luisa disse...

GM,

Mas olha que há paixões que são verdadeiras doenças... :))