quinta-feira, 3 de maio de 2018

A mão


O homem de cinquenta anos e cabelo pelos ombros está à minha frente na fila do supermercado. A seu lado a mulher conduz o carrinho das compras. Trocam algumas palavras que nem ouço. Hoje só vejo. Vejo a mão direita do homem enfeitada com cinco milímetros de aliança de aço trabalhado. Vejo-a pousar sobre as costas da mulher e afagá-las suave e repetidamente.

9 comentários:

alexandra g. disse...

que trivialidade, que quê?
é tão belo e apaziguador de imaginar... :)

Janita disse...

Tão lindo, Luísa! :)

Beijinhos.

papoila disse...

Um bom aconchego...
Bjs Luisa

bea disse...

Os momentos de espontânea ternura tremeluzem na retina e nasce-nos uma alma nova, não é?

Os olhares da Gracinha! disse...

Um gesto que diz tudo!bj

Cidália Ferreira disse...

Quanta ternura!

Beijos- Boa noite

Gaja Maria disse...

Gosto de ver esses pequenos gestos :)

Larissa Santos disse...

Adoro ver um casal assim!

Hoje:- Nem sempre as palavras são deixadas ao vento.

Bjos
Votos de uma boa Sexta - Feira

luisa disse...

alexandra g.
E de ver. E de lembrar. :)

Janita,
Enternece. :)

papoila,
E rima com chamego. :)

bea,
Coisas que fazem bem. :)

Gracinha,
Palavras para quê?

Cidália,
Muita. :)

GM,
Reconfortam a alma. :)

Larissa,
Dá ânimo. :)