sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Vazia

Uma vez e outra escrevo uma palavra que logo apago. A ideia que tento fixar evapora-se no silêncio da noite que não é silêncio. O silêncio não existe. Não ouvisse eu os sons à minha volta e estaria condenada a ouvir dos sons dentro de mim. Mas cá fora nem mesmo a palavra que escrevo consegue qualquer ressonância. Está vazia. Vazia de mim.

11 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Sinto-me um bocado assim. Comigo repete-se todos os anos, quando o Outono cmeça a despir-se das cores e se torna cinzento.
Bom FDS

Briseis disse...

As tuas palavras nunca são vazias... não me tem dado muito para vir cá, mas sempre que cá venho, é um gosto!

Catarina disse...

Palavras vazias, silêncios que não existem ...
Compreendo.

★MaRiBeL★ disse...

இڿڰۣ-ڰۣ—Feliz Fin de Semana.
♥ B E S O S ♥

─═☆MaRiBeL☆═─

Ana disse...

Há dias assim, mas passam:)

Rui Pascoal disse...

Gosto de ser do contra.
:)
Vazia? Com tanto comentário à volta?
Não me parece...

Bom fim de semana!

Rosa dos Ventos disse...

O ruído do silêncio é terrível...quanto ao vazio não o encontro por aqui!

Abraço

Graça Sampaio disse...

Como compreendo este desabafo! Ups and downs, porém! Nada mais pode ser, Luísa.

Beijinho

maria disse...

Ando assim tantas vezes que te compreendo bem, mas passa...

As melhoras e um beijinho :)

quem és, que fazes aqui? disse...


Todos temos dias assim. Sei o que isso é.

Beijo

Laura

Vane M. disse...

Penso que quando nos sentimos assim é hora de silenciar até escutar a voz do coração em sintonia. Um abraço!