segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

A marcha dos neurónios


Li algures que o exercício físico era benéfico para a memória. Parece que o exercício aeróbico produz um químico que facilita a comunicação dos neurónios e em consequência auxilia a cognição.  Ultimamente sinto o meu desempenho mental a fraquejar. Parece que tenho o cérebro adormecido.

Por isso e depois de uma semana ou mais em que a preguiça me manteve agarrada ao sofá e à cadeira do escritório decidi voltar esta noite a caminhar. Acelerei o passo de tal maneira que até parecia que estava na minha melhor forma.  Espero que o ritmo que imprimi nas passadas me tenha abanado convenientemente os neurónios e que com isso tenha acordado o cérebro.

Entretanto, fiquei de tal modo esfalfada que o sono anda por aqui a rondar-me o corpo e não tarda mesmo nada vou-me deitar a dormir.

10 comentários:

SofiAlgarvia disse...

Também ando a sentir o mesmo em relação ao cérebro, deve ser mesmo essa tal falta de exercício. No Sábado à noite, estivemos numa festa, que incluía dança e eu que adoro não consegui aguentar o ritmo... Tenho que fazer como tu, voltar a caminhar!
( tinha saudades de cá vir )

Rui Pascoal disse...

Agora, de regresso à chuva e ao frio, quem marchava novamente daqui era eu.
:)

redonda disse...

Devo estar a precisar de muito exercício, para melhorar a minha memória :)

Teté disse...

Se a memória dependesse do exercício físico... eu estava tramada! :)

Beijocas e bons sonhos!

Pedro Coimbra disse...

São os chamados efeitos secundários, não é? :))

Arco Iris disse...

Olha que bom....
Não há nada melhor que uma boa caminhada e a seguir um sono descansado.

quem és, que fazes aqui? disse...



Se o meu sono dependesse de uma boa caminhada... seria uma mulher sem sono.

Quanto à memória, mesmo sem exercício físico...não está má. Ainda vou sabendo fazer, sem máquina de calcular, quanto perco de ordenado todos os dias...

Beijo

Laura

Susana Correia Dos Santos disse...

Plenamente de acordo! Mente sã em corpo são.

Ana disse...

Eu nunca me safo da passeata com as cadelas:) faço todos os dias

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Caminhar é essencial para mim. Liberta-me os músculos e os neurónios. Nestes dias de cama, senti-me de repente de cabeça oca e cheguei a recear ter-me transformado em figura de jet set.:-)