quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Pequenas coisas


A vida é feita de pequenas coisas. Umas têm o dom de me pôr os nervos em franja, outras precisamente o contrário. Dependendo dos dias e da disposição, às vezes até as que me costumam tirar do sério conseguem fazer-me sorrir.

Hoje, por exemplo, fiquei com os nervos em franja [porque será que dizemos “nervos em franja”?] ao ouvir um colega bater furiosamente com o rato na secretária na expectativa de que o computador saísse de um daqueles ataques de pasmo que por vezes dá a estas máquinas. É um colega que está constantemente a fazer isto e que ainda não percebeu que assim não vai lá.

Também fiquei irritada com o rolo de papel higiénico da casa de banho do meu local de trabalho. Como tantas outras vezes, o papel que é muito fino, não se solta facilmente e lá estou eu a fazer rodar o rolo no dispensador, vezes sem conta, sem que os meus dedos consigam agarrar na ponta para retirar o pedaço de que necessito.

Em casa, desorientam-me pequenas coisas como encontrar quase sempre o garrafão da água destapado ou os chinelos da cara-metade na minha metade de armário.

Passado o instante de todas estas pequenas amofinações diárias, dou por mim a rir delas e a pensar que à sua custa devo ter acentuado alguma das rugas que insidiosamente se vão instalando por aqui. 

10 comentários:

Rui Pascoal disse...

Eu arrumo sempre os meus chinelinhos no sítio certo, agora o resto...
:)

Rosa dos Ventos disse...

Nestes poucos dias em que estou sozinha tenho deixado tudo fora do sítio...
Têm sido férias de arrumações, até dos chinelos! :-))

Abraço

Teté disse...

As coisas que por vezes inventamos para nos arreliar, não deixam de ter a sua piada. Essas serão as tuas em certos dias, mas todos nós temos outras (ou as mesmas?) igualmente caricatas... :)

Beijocas, Luisa!

Pedro Coimbra disse...

Quem não tiver dessa pequenas irritações que atire a primeira pedra.

Naná disse...

Já dizia o outro: há dias de manhã que nem de tarde se pode sair à noite...

Ana disse...

eu também sou assim, talvez seja defeito de personalidade.

beijo

Arco Iris disse...

O teu texto está muito engraçado...
Eu era assim, ou tinha dias assim, mas achei que não valia a pena, são coisas insignificantes para o valor que a Vida tem.

Vane M. disse...

Oi, Luisa. eu também me irrito com pequenas coisas, em geral aquelas que denotam um certo respeito para com o outro. Mas tal como você, já aprendi a digerir essas coisas de forma a me incomodar menos. Atitude sábia. Um abraço!

São disse...

Graças a DEus, já não tenho nenhum desses problemas: sou aposentada e vivo sózinha há trinta anos, rrss

Bons sonhos

Briseis disse...

São umas marotas, as rugas... aproveitam essas abertas e vão entrando... as malvadas.. =)