quinta-feira, 5 de abril de 2018

A biblioteca


Quando estou numa biblioteca, qualquer biblioteca, tenho a sensação de ser transportado para uma dimensão puramente verbal, por um passe de magia que nunca compreendi inteiramente. Sei que a minha verdadeira história, toda ela, está lá, algures nas prateleiras, e tudo o que preciso é de tempo e de sorte para a encontrar. Nunca acontece. A minha história continua a escapar-me, porque nunca é a história definitiva.

Alberto Manguel
Embalando a minha biblioteca: uma elegia e dez divagações, Tinta da China, 2018.

10 comentários:

Os olhares da Gracinha! disse...

Gosto da escolha!
bj

Maria Glória disse...

O melhor local e tempo para a magia: as bibliotecas. E o silêncio! Que prazer.

teresa dias disse...

Luísa, a tua janela já está no "rol de leituras".
Linda, continua fechada.
Obrigada, amiga!

Bibliotecas - amo!
Estupidamente, frequento pouco.
Beijo.

Larissa Santos disse...

Muito bem. Gostei :))

Hoje:- "Caminhada, entre sentidos e rimas"
-
Bjos
Votos de uma feliz Sexta-Feita

Cidália Ferreira disse...

Muito bem escolhido!!
Beijo. Bom fim de semana

Acrescenta Um Ponto ao Conto disse...

O amor aos livros é assim...

Convidamos a ler o capítulo VIII do nosso conto escrito a várias mãos "Voar Sem Asas"
https://contospartilhados.blogspot.pt/2018/04/voar-sem-asas-capitulo-viii.html

Saudações literárias!

AFRODITE disse...


Não me lembro há quanto tempo não vou a uma biblioteca! :(
E dantes adorava ir...
Gostava de todo aquele cerimonial de ir requisitar o livro pretendido, o tempo de espera até que a funcionária (ou funcionário) o trouxesse, aquele respeito que se respirava lá dentro tendo sempre o cuidado de não perturbar quem lá já se encontrava absorto em leituras, pesquisas e trabalhos académicos.
E o cheiro dos livros?...

Olha... fiquei nostálgica!

Beijinhos em silêncio
(^^)

silvioafonso disse...

.
Eu era assim, e ainda acho
que sou até que resolvi falar
de mim para mim, mas como
não cheguei a lugar nenhum
deixei que os sonhos me
levassem. Fechei os olhos
e fui. Ou melhor, estou
indo através dos livros
que me dizem coisas que só
nos livros se pode saber.

Beijos,

silvioafonso



.

Manuel Veiga disse...

com franqueza, prefiro o original
a "Biblioteca de Babel" - Jorge Luis Borges

luisa disse...

Gracinha,
Um dos livros que estou a ler, já que ultimamente tem me dado para ler vários ao mesmo tempo. :)

Maria Glória,
Gosto dessa associação entra “magia” e “bibliotecas” :)

Teresa,
Já fui ver… Obrigada!
Quanto a bibliotecas, também não frequento muito e penitencio-me por isso.

Larissa,
Obrigada.

Cidália,
Estou a gostar de ler, sim.

Acrescenta um Ponto ao Conto,
Obrigada, irei espreitar.

Afrodite,
Embora tenha, em parte, uma relação profissional com a área das bibliotecas, o facto é que não as frequento muito enquanto leitora. Mas devia.
Neste livro, Manguel fala não só das bibliotecas em geral, mas, sobretudo, da sua biblioteca pessoal, que teve de encaixotar para mudar de França para o Canadá onde se encontra hoje armazenada. Conta essa história refletindo sobre as bibliotecas, os leitores, os livros… Estou a gostar.

Silvioafonso,
Os livros são caixinhas de segredos que se nos revelam página a página. :)

Manuel Veiga,
Ah, mas não é comparável. O genial conto de Borges é uma alegoria que podemos interpretar de mais do que uma forma. Aqui, trata-se de memórias, reflexões…