quarta-feira, 18 de março de 2015

Chuva

O dia não foi lá grande coisa. Começou com um desvio no trânsito. Acidente, dizia a placa vermelha que cortava a estrada. Soube-se depois, pelos jornais da net, que um jovem de vinte anos encontrou a morte pelas seis e meia da manhã. Não o conheço, mas pela idade é como se conhecesse. É demasiado próximo da idade de dois pedaços de mim. É suficiente para fazer borbulhar a angústia de uma potencial perda. O medo a pensar que não, que nem sempre acontece só aos outros.

O dia não foi lá grande coisa. Trabalho e pequenas contrariedades. Muito trabalho e muitas pequenas contrariedades. Mais notícias negras nos jornais da net. Mais acidentes rodoviários. Atentados terroristas. Turistas mortos. Listas vip alarmantes. A C. a explicar que tudo resulta de uma conjugação astral e que a coisa não vai melhorar tão cedo. Eu a pedir-lhe licença para me rir. Se calhar fiz mal. Chorar talvez fosse mais acertado. Pelo menos era condizente com a chuva e tinha alguma serventia. Tal como a chuva me lavou o pó do carro, talvez o choro me tivesse lavado a alma.

16 comentários:

Graça Sampaio disse...

Texto que revela angústia... como nos andamos a sentir (quase) todos, enfim.... Poderia ter sido escrito por mim...

Beijinho cúmplice

Benó disse...

Luisa, há dias assim. Estamos na mó de baixo, como diria a minha mãe. Sorria que ajuda e passeie. É fácil dizer, não é? Vai uma beijocas com um conselho: Saia com a máquina fotográfica na mão.
Ficamos a aguardar.

São disse...

Há dias assim...

Catarina disse...

O choro pode não apenas lavar a alma mas pode aliviá-la. Fica-se “mais leve”.
Ligar a televisão de manhã para ver como pára o tempo é deprimente pois só se ouve notícias de desastres, de terrorismo, disso mesmo a que te referes, logo no início do dia. Baixo o som. Olho apenas para os números que indicam a temperatura.
Quando os nossos filhos estão longe, fora da área do “nosso conforto”, ficamos apreensivas. Eu compreendo.

papoila disse...

Nos dias cinzentos e chuvosos tudo piora, as dúvidas, as incertezas os maus pensamentos...fica a esperança que amanhã é um novo dia e que há sempre a possibilidade de as coisas melhorarem.
Que amanhã o Sol te aqueça a alma.
xx

Majo disse...

~
~ ~ O fim de tarde esteve esteve mais agradável...

~ Não te prendas com notícias miudinhas deprimentes...
~ Como dizem os brasileiros: ouvidos não são ''pinico''...

~ ~ Amanhã é outro dia.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Portugalredecouvertes disse...


Luísa o facto de escrever também pode aliviar a alma!

e a natureza pedia chuva pelo menos no Algarve a altos brados!

abraços
Angela

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Os dias que correm vestem-nos a alma de negro e, como se isso não bastasse, também eles se vestem de negro para aumentar o peso do fardo que carregamos

Pedro Coimbra disse...

Querem 100% de humidade (já vai para uma semana), nevoeiro cerrado, "capacete"??
Eu ofereço

Miss Smile disse...

A chuva traz bênçãos que a razão desconhece :)
Um beijinho

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Gostei de visitar o seu blog é muito interessante.
Um abraço.

Lilly Silva disse...

Está aí um lindo texto, do qual eu gostei bastante, por ter me causado reflexões!
Beijos

http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

Carmem Grinheiro disse...

Olá Luisa,
Também a mim choca demais a morte numa vida que ainda faltava viver, e quando as idades se aproximam aos nossos, a emoção gerada é estranha, realmente - é como se o que nos parece sempre "dos outros" ameaçasse com a teoria das possibilidades.
Não sei se é de facto por conjugação astral, mas também me apercebo de muitos estragos à volta.

bj amg

heretico disse...

até o Sol escurece - de tempos a tempos!

e depois volta a brilhar...

beijo

Teté disse...

Por vezes, chorar faz muito bem... :)))

jorge esteves disse...

A verdade é que as palavras voam e as lágrimas secam. Mais depressa, se estiver vento...

jorgesteves
www.tintapermanente.pt