segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Barranco das Belharucas

Há trinta anos atrás fazíamos piqueniques no pinhal sobranceiro à praia do Barranco das Belharucas. Partíamos em grupo, com manta para espalhar no chão, sobre a caruma, e farnel para um dia inteiro. Gozávamos a sombra e os cheiros das pinhas. Descíamos o desfiladeiro que leva até à praia e refrescávamos os corpos na maré. Quando a fome marcava o meio-dia voltávamos ao pinhal, falésia acima. Entre comes e bebes ensaiavam-se namoros, jogava-se às cartas e até se fazia ginástica. Ali estou eu, naquela fotografia, deitada de costas, mãos suportando as ancas, pernas esticadas na vertical, como querendo tocar no céu com a ponta dos pés. Risotas. A tarde daria lugar a nova caminhada até à praia e a mais um banho de mar.


De vez em quando, volto ao Barranco das Belharucas. A praia está quase na mesma. Esplendorosa. Só já não encontro o lugar dos piqueniques. Foi engolido pelo tempo, pelos hotéis e pelas casas de férias. 


10 comentários:

Luis Filipe Gomes disse...

É lindíssima e dá vontade de estar lá.

Arco Íris disse...

Maravilhoso....
Este relato fez-me lembrar a minha Terra , em que tenho recordações idênticas.
Só dá mesmo para recordar porque também está tudo muito diferente.

Rui Pascoal disse...

(Recuando um pouco mais)
Lembro-me de estar em Albufeira, sair da praia e ir apanhar figos, logo ali ao lado, e depois voltar para dentro de água.
:)

redonda disse...

Deviam ser piqueniques fantásticos.
Quando era criança idas à praia eram também uma espécie de piquenique - levávamos sandes de paio e tang laranja - lá sabia tudo melhor.

Ricardo Santos disse...

Bons contrastes !
Estou a ver o dorso de um jacaré nessas águas ! :)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O turismo mata muitas das nossas recordações de infância.
Bela foto, a pedir uma banhoca!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O turismo mata muitas das nossas recordações de infância.
Bela foto, a pedir uma banhoca!

Benó disse...

Belas recordações.

Pedro Coimbra disse...

Tal como o Carlos, tenho vontade de dar um mergulho!

J. Costa disse...

Este relato faz-me lembrar a minha infância. Durante o Verão, íamos para a praia ao lado, os Olhos-de-Água na camioneta do Monte Seco. Munidos de um bom farnel, miúdos e graúdos lá iam à praia. Quem não tinha outro transporte, esta era uma boa oportunidade para ir à praia, para aquelas povoações Monte Seco, Parragil, Alfontes, Tenoca até Boliqueime.