quarta-feira, 17 de abril de 2013

Uma casa


Ali já não ecoam vozes nem se ouve o rumor das águas escorrendo dos alcatruzes. Já não se sente o cheiro da comida fumegando na cozinha.

Ali já só se ouve o vento sibilando pelas frestas e as folhas das árvores que estremecem ao redor. Ali ficaram abandonadas as paredes de vidas que já foram e que não sei.

Sigo caminho e apresso o passo. Ao longe, ouço um cão que ladra guardando o monte de casas novas.


16 comentários:

Teté disse...

Um texto quase poético, para uma bela imagem que recorda outras eras... :)

Beijocas!

Graça Sampaio disse...

Que linda imagem! E que belo texto!
Beijinhos

papoila disse...

Gostei.
xx

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

As suas palavras transportaram-me para a cena real. Não é preciso acrescentar mais nada, pois não?

Catarina disse...

A caminho da casa dos meus avós, havia uma casa abandonada conhecida por “o casarão”, muito parecida a esta. Se alguma vez soube quem lá tinha vivido, já esqueci.
Gostei muito do texto.
: )

Pedro Coimbra disse...

Se fosse em Macau já tinha ido abaixo e sido substituída por um lindo caixote com buracos com 100 metros de altura.
E lá ficávamos privados da casa, do cenário bucólico e do seu bonito texto.

Naná disse...

Não consigo deixar de sentir uma certa nostalgia quando vejo estas casas assim...

Arco Iris disse...

Poderia ser o começo de uma linda história de Amor, ou uma história de terror tendo como figura principal essa casa abandonada....
Gostaste ?......

Constance disse...

Gostei imenso, quer do texto, quer da fotografia! E, já agora, aproveito para dizer que a receita do bolo de marmelada já se encontra no blog :) Um beijinho!

Ana disse...

Por aqui é igual mas noto que nos últimos anos há muita gente que tem voltado, sobretudo os mais velhos, filhos da terra que se reformaram. É uma pena, este abandono... nem as histórias sobrevivem...

Rosa dos Ventos disse...

De uma profunda beleza...aliada à tristeza do abandono!

Abraço

quem és, que fazes aqui? disse...


E deste abandono se faz ainda a história da casa.

Beijo

Laura

Vane M. disse...

Gosto de passar por lugares abandonados e imaginar qual passado se esconde em seus escombros...Um abraço!

redonda disse...

Gostei do texto e da imagem e fiquei a pensar nas histórias que se terão vivido naquela casa...
um beijinho

Mz disse...

Luisa, um texto belíssimo que acompanha o abandono de um lugar tão comum no nosso Portugal profundo. O abandono, a desertificação.

Bjs

ricardo alves / são paulo,brasil disse...

belas palavras!