segunda-feira, 5 de abril de 2010

Sabor da corrente


Corre leve e não profunda a ribeira de águas mansas.
Refresco nela o olhar, lavo-me de qualquer tristeza.

Sem comentários: