segunda-feira, 9 de maio de 2016

Palavras ao vento


15 comentários:

Rui Espírito Santo disse...

Um modo muito curioso para apresentar um poema ! :)

Aqui não foi um vento, mas antes um "olho de furacão" ! :))

Beijo, Luisa ! :)

✿ chica disse...

Um vento que te roubou exclamações, pontos qualquer coisa, menos a inspiração e criatividade! Parabéns! ADOREI! És demais! bjs, chica

bea disse...

Oh, que curioso:). Já tínhamos uma geringonça, faltavam mesmo era sílabas desengonçadas. Em chiadeira. Mas agora já temos.

redonda disse...

Está um bocadinho difícil de ler, vou tentar imprimir amanhã...

Sara com Cafe disse...

meio que gostei... vou ficar mais um pouco nesse espaço.

abraço.

Pedro Coimbra disse...

Em turbilhão!!!

Laura Ferreira disse...

tenho lá cadernos em casa com coisas destas...
houve uma altura em que só fazia disto.
foi bom vir aqui recordar :)

Teté disse...

Um poema muito engraçado, graças à sua apresentação. De mais difícil leitura, mas mesmo assim ninguém resiste à curiosidade. Acho!:)

Beijocas

Majo disse...

~~~
Uma paciente composição redemoinhada

de um normalíssimo poema de amor!

Tudo de bom, tímida poeta...

Beijinho.
~~~~~

Flor de Jasmim disse...

Os pontos e virgulas, até as silabas mesmo desengonçadas são e lindas de ler!
Adorei...e é curioso, porque tenho em papel algumas coisas escritas por mim e pelo meu falecido marido desta forma.

Beijinho Luísa.

papoila disse...

Muito criativa, uma ideia muito engraçada.
bjs

Briseis disse...

Há poemas tao simples e tao bonitos que nem um tufão consegue destruir... =)

Rui Pascoal disse...

Não gosto de vento mas esse é óptimo (também dá para exercitar o pescoço).
:)

Benó disse...

Um pouco giratório de se ler mas consegue-se exercitando o pescoço. Uma ideia que, pelo comentários atrás, não é original mas para mim é.

Ricardo Santos disse...

Gostei imenso Luísa !