sexta-feira, 27 de maio de 2016

Das palavras.

Gosto das palavras. Ponto.


Das palavras que se evaporaram, só me resta conformar-me e alegrar-me com os recomeços que vou encontrando.
E gosto de, como em poucas, muito poucas palavras, se podem contar mil e muitas  histórias.
E que dizer das palavras que queremos ser quando formos grandes? Se algum dia.
De palavras reflexão.
De palavras travessas. Ou serão atravessadas?
De palavras vivas, irrequietas mesmo.
E até sem palavras.

16 comentários:

flor disse...

e eu gosto de si, luisa. e do seu sorriso bonito, porque sorri com generosidade.

além disso, é talentosa com palavras e olhares (e faz parte da minha lista de bloggers maravilhosas :).

um abraço.

Laura Ferreira disse...

e eu gostei muitíssimo da tua selecção Luísa :)
e gosto muito das tuas.

Isabel Pires disse...

Luísa, conheço bem este rol que agrafaste à esquina da tecla... até a praia daquela rapariga louca. :)
Vou confessar-te uma coisa: aos domingos à noite estou por aqui à coca, volta e meia a espreitar, a ver se já chegaram novas dos teus passeios.
Obrigada!
Bom fim-de-semana :)

Tétisq disse...

É uma excelente selecção.
Também gosto de palavras que espreitam à esquina da tecla.

Tétisq disse...

É uma excelente selecção.
Também gosto de palavras que espreitam à esquina da tecla.

Miss Smile disse...

Sou fã das palavras e das pessoas que selecionou. Ponto :)

bea disse...

Não creio que os homens existam sem palavras. Essa suposta inexistência é um frio polar. Porque tudo em nós significa. E no entanto, creio firmemente que só na parte do mundo que se liga à escrita existe essa gratidão significante e significativa. Mas talvez as palavras não amofinem; talvez sirvam a todos do mesmo modo e haja constância em serem ponte, mesmo para quem as usa como chão natural, sem avaliar a altura a que guindam a humanidade. As palavras são plásticas e humildes.

Está um bonito texto.

Susana Rodrigues disse...

A mim maravilham-me os milhares de palavras que traduzes nas tuas fotografias. Adoro-as.
E a nova série dos ditos populares. Tão originalmente bom, querida luisa.

Um beijinho e obrigada. :-)

Janita disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Janita disse...

Expeptuando uma palavra, que isto de simpatias e antipatias não se opta, acontece, é natural e quiçá, recíproco, gostei muito das palavras seleccionadas. A fina flor cá teu bairro; e da blogosfera em geral.
A primeira 'palavra' tem sido uma espécie de vai-vem, mas quando vem é um deleite para a alma....:)

Meu Velho Baú disse...

Não só as fotos maravilhosas à esquina da tecla, como de vez em quando uns textos que nos põe a pensar

papoila disse...

Luisa, Já te tenho dito mas repito: és uma verdadeira artista, brincas com as palavras e com as imagens com uma grande sabedoria e uma grande sensibilidade.
Gosto sempre muito das fotos mas os textos são sensacionais
Bj

Rui Espírito Santo disse...

Excelente homenagem e mais ainda o modo, Luisa !
Mais uma vez a minha admiração.

Bjs ! :)

Flor de Jasmim disse...

Excelente texto que deu vida a uma bonita homenagem e me deu a oportunidade de visitar blogues que não conhecia.

Beijinho Luísa

heretico disse...

sem palavras, claro! - o melhor que se diz...

Manel Mau-Tempo disse...

nã serei merecedor... mas agradeço a honra :)