sábado, 21 de novembro de 2015

Sábado

Imagino sempre o sábado maior do que ele, de facto, é. Quando chega a sexta-feira começo a elaborar a lista de tudo o que quero fazer no sábado. É uma lista pensada. Vou pensando e vou contando com um sábado que me vai dar tempo para tudo. Também penso em despachar, logo na sexta-feira, algumas tarefas típicas e necessárias do fim de semana. Mas, quase de imediato resolvo que não. Resolvo que vou antes aproveitar a sexta à noite para ler um livro, para me esparramar frente ao televisor, para descansar. O sábado que está para chegar parece-me imenso e, no final de uma semana extenuante, bem mereço uma pausa. Ficam, assim, as tais tarefas alistadas junto a tudo o que eu já vinha elencando para fazer no sábado.

O problema é que tenho o sábado mal medido e agora que ele está a chegar ao fim vejo-me encurralada no meio da lista que pensei. Estou aqui apertadinha entre a última tarefa que consegui concluir e a seguinte que me olha com ar de desprezo, abanando a cabeça em total reprovação por eu não ter conseguido sequer iniciá-la.

Paciência. Com o corpo dorido, as pernas já frouxas de tantas horas em pé dou por terminado o trabalho de sábado, antevendo um domingo que me vai resgatar desta lista impiedosa.

5 comentários:

Catarina disse...

O fim de semana é para descansar! Se não descansarmos... teremos problemas ao longo da semana.

Mona Lisa disse...

Desde que me aposentei , deixei de programar os sábados...faço o que me apetecer ou o que surgir.

Deves procurar descansar, pois o descanso é essencial a quem trabalha.

Beijinhos.

Meu Velho Baú disse...

Quem está no activo o fim de semana torna-se pouco e, depois passa muito depressa......
Um bom descanso.

Pedro Coimbra disse...

O meu patrono chamava ao sábado o dia de são carvalho (ir para o vernáculo) :))))
Boa semana

Graça Sampaio disse...

Bem me lembro dos loucos fins de semana de quando trabalhava!! Uma verdadeira loucura!!!