quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Chorei


Chorei.
Foi algo completamente incontrolável. Primeiro senti os olhos ficarem rasos de água. Depois as lágrimas começaram a rolar-me lentamente pela face. Irremediavelmente chorei.
Chorei por longos minutos sem conseguir pôr cobro à situação. Pestanejei. Funguei. Fechei até os olhos numa vã tentativa de impedir o jorro salgado que me lavava o rosto. Eu não queria… Mas, naquele instante, nada no meu ser tinha mais força.
Chorei enquanto crescia em mim uma certa raiva. E quanto mais me apressava a concluir o que tinha de ser feito mais se agudizava a situação.
Chorei.
Chorei copiosamente por longos minutos até que, finalmente, o fundo do tacho ficou coberto, sem haver mais cebola para cortar.

11 comentários:

Dulce Morais disse...

E quando as lágrimas se esgotam, resta a determinação... ou só a tristeza. Depende das situações.
As suas lágrimas emocionaram-me!

Catarina disse...

: )
Como evitar essa choradeira que cortar cebola provoca? Guardar as cebolas no frigorífico! : )

Pedro Coimbra disse...

Malandra!! :)))
Bjs e votos de um bom fds

Rui Pascoal disse...

Ora até que enfim que alguém me compreende...
:)

Lemon disse...

Vigança: a cebola acabou cortada, cozinha e comida ;)

asustentavellevezadosdias disse...

prefiro as outras lágrimas. as genuínas.

Teté disse...

Acontece com frequência... a quem cozinha! :)

Beijocas e não chores mais! :D

Ana disse...

as lentes de contacto nisso são maravilhosas, zero lágrimas:)
beijos

hesseherre disse...

A par dos conselhos de teus amigos e amigas, fica uma expectativa: o que escreverás quando morrer um parente próximo ou o cachorro de estimação?!

redonda disse...

Já estava a ficar preocupada...
Um dia, pensei que ia conseguir evitar chorar, cortando as cebolas com óculos...mas não resultou :)

Rosa dos Ventos disse...

Também me acontece essa súbita emoção perante fundos de tachos...cobertos de cebola! :-))
Texto que me criou um certo suspense!

Abraço