segunda-feira, 15 de outubro de 2012

As palavras


Levo o dia a ouvir palavras feias.

Corte
Enorme aumento de impostos
Austeridade
Défice
Crise
Gaspar
Troika
Dívida
Mercados
Desemprego

E nem algumas (poucas) palavras bonitas que ainda se vão ouvindo surtem efeito na minha disposição.

Crescimento
Trabalho
Investimento
Esperança
Equilíbrio financeiro

As palavras bonitas estão a ficar gastas, cansadas, moribundas. Tenho medo que, de repente, venha uma rajada mais forte de vento e as mate de vez.

7 comentários:

Rui Pascoal disse...

Quer uma palavra bonita? Mãe.
:)
Garanto que essa nunca morrerá. Palavra de filho.

redonda disse...

Pois é, essas palavras bonitas estão a parecer mesmo frágeis...

Graça Sampaio disse...

Da forma como as coisas estão, já temos medo de tudo, Luísa!

Rosa dos Ventos disse...

Queres outra palavra feia?
Filhos da mãe (coitada das pobres senhoras)! :-((
Estou farta!

Abraço

Teté disse...

Também estou farta dessas palavras feias e do desãnimo que elas carregam, influenciando toda a gente... :(

Beijocas!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

o nosso governo preza a boa educação e o nosso PM até diz que não suporta insultos, mas a verdade é que há 15 meses não param de nos insultar.
Boa semana

Pedro Coimbra disse...

É tempo de novo acordo ortográfico, talvez.
Bjs