quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

As molas

Há os afazeres da dona de casa em volta da despensa, do frigorífico e do fogão. Há as compras, as refeições e as arrumações. Há as mudanças de roupa, as máquinas postas a lavar e o estendal. E depois há o caso das molas.

As molas da roupa são um caso sério. Diria que quase poderiam ser tema para uma tese. Ou melhor, o modo como se utilizam as molas poderia ser alvo de um estudo aprofundado. Eu, por exemplo, tenho um cesto para as molas e dou-lhe uso. Senão para que me serviria um cesto de molas? Quando ponho a roupa a secar na corda, retiro uma a uma as molas de que necessito. Pego em duas ou três molas, agarro na peça de roupa que se encontra no alguidar, sacudo-a energicamente, escolho as pontas por onde a vou pendurar, coloco-as na corda e prendo-as com as tais molas. Vou repetindo a operação até esgotar a roupa molhada e aliviar o peso do cesto das ditas molas. 

Até aqui tudo muito corriqueiro, tudo muito normal, dir-me-ão. E eu concordo. A questão coloca-se essencialmente no modo de recolha da roupa. Nesta fase da operação é que se dividem as práticas. Há quem, como eu, retire meticulosamente cada mola de roupa da corda, voltando a colocá-las no cesto. É para isso que ele serve, não é verdade? E há quem recolha a roupa abandonando as pobres molas à sua sorte no estendal. Umas ficam por ali, a baloiçar de pernas para baixo – isto se considerarmos como pernas as suas extremidades mais afastadas. Outras estarão fixas na corda com as pernas para o ar.

Não digo que, assim, não se crie um interessante efeito estético. Na verdade quantas fotografias, quantas ilustrações não as têm por tema? Uma corda pejada de molas de roupa coloridas. Ou então uma série muito clean, natural e uniforme de molas de madeira. Acho bonito, até, mas nada prático quanto se tem de voltar a estender roupa. Nesse momento temos as molas a ocupar o espaço em que precisamos de colocar os lençóis, as toalhas, as camisas, as calças, as meias, as cuecas… Precisamos então de as empurrar para um lado, desocupando parte da corda. Isso até funciona para quem as deixou de pernas pendentes mas para aquelas que estão bem presas pelo seu lado funcional de mola já não é tão evidente. Também será possível chegar junto do estendal e proceder à total remoção das molas antes de iniciar a operação de colocação da roupa a secar. Pessoalmente, considero este modus operandi um transtorno. A tarefa de estender roupa acaba por ser mais demorada. Prefiro, sem sombra de dúvida, dar uso ao cesto das molas sempre que tiro e ponho roupa no estendal.

Reconheço que a minha opinião pode não ser pacífica. Outros entenderão que é muito mais prático deixar as molas na corda. Parece-me, indubitavelmente, que este problema é merecedor de um estudo. Hoje em dia estuda-se tanta coisa. Chego a pensar que quanto mais disparatado o tema mais furor farão os resultados no momento da divulgação.


Um dia destes, ainda faço um inquérito sobre o modo de uso das molas de roupa em Portugal.

15 comentários:

redonda disse...

:) Também sou da corrente de dar uso ao cesto quando se tira a roupa :)

No Meu Quarto Andar Sem Cave disse...

Depende dos dias e da pressa :)

Ava Pain disse...

Isto das molas tem muito que se lhe diga e tal como tu proponho um estudo sobre as ditas. Com cesto ou sem ele, há quem as use por cores, ou seja, peça de roupa azul, molas azuis e assim por diante (conheço quem o faça!). Depois há aquelas pessoas muito práticas, que penduram a roupa a correr e depois vão à sua vidinha e não querem mais saber de coisa nenhuma e só voltam para ver se já está seca, o meu caso.
( bora lá ao inquérito, Luisa, isto tem muito que se lhe diga!) ;)

flor disse...

:)

guardo sempre as molas, para além de ser mais prático e rápido, não as deixo ao sol e à chuva, porque se estragam e se partem todas.

Mona Lisa disse...

Faço como tu, com uma pequena diferença. Ao colocar a roupa a secar pego em várias molas e , normalmente, há sempre alguma que cai, ficando sem ela.

Nunca deixo molas na corda.

Beijinhos.

Laura Ferreira disse...

revi-me tanto...
já tive um empregada que embirrava com as molas da roupa...

Portugalredecouvertes disse...


Essa das molas Luísa, tem muito que se lhe diga:) no meu caso já passei por fases, molas na corda, depois mais cuidadosamente colocadas no cestinho com a recolha da roupa, será mais concentração ou maturidade de espírito?! que fenómeno nos faz mudar de comportamento em relação às molas da roupa?! uma questão pertinente, não é?
outro assunto que mereceria um estudo aprofundado Luísa, se concordas comigo ?! seria o caso dos tupperwares e das respetivas tampas que dificilmente casam uns com os outros quando precisamos deles ! portanto as quantidades são as mesmíssimas :)
até mais tarde Luísa,
um assunto a refletir :)

Angela

Maria Eu disse...

Também tenho um cesto Por vezes, esqueço-me dele e abandono algumas pobres molas ao relento.

Beijos, Luísa. :)

papoila disse...

As minhas também vão para o cestinho e tenho das de madeira, escolhidas por mim e das de plástico ás cores que eram da minha mãe e as últimas que comprei foram umas lindas e branquinhas...
Detesto que uma peça de roupa tenha molas diferentes :)))
bjs

heretico disse...

o velho conflito entre a Arte e a Técnica! rss

confesso que sou doido por molas de roupa a "baloiçar de pernas para baixo"...

isto se, como tu bem dizes, considerarmos as pernas as extremidades (delas, molas) mais afastadas - bem afastadas, claro (as pernas)...

beijo

Miss Smile disse...

O inquérito pode começar já, Luisa. Eu faço parte das que não dispensam o uso do cesto. Deixar as minhas queridas molas ao relento é que não!

Manel Mau-Tempo disse...

acabo de descobrir que nã sacudo a roupa antes de a pendurar... atão é isso!

mz disse...

Também tenho cesto de molas e gosto das ditas todas de uma só cor. São manias! :)

Catarina disse...

As molas da roupa são um caso muito sério, sim senhor! Merecem um estudo e muitas fotas.
Eu não tenho nem uma mola de roupa! Qualquer dia começo a fazer o estendal dentro de casa e para isso vou ter que comprar algumas.
Sabes o que me incomodaria? Estender a roupa interior lá fora! Ninguém tem de saber o que uso e não uso!!
Gostei do teu passeio amarelo. Amarelo é uma das cores que mais gosto. Tenho alguns cardigans dessa cor. Como me dizem que o amarelo me fica bem... Tb tenho um casaco de primavera amarelo! : ))

cantinhodacasa disse...


Um post interessante sobre as molas. Gostei!
Pois eu faço exactamente como a Luísa, quer ponha a roupa a secar nas cordas que tenho no exterior, quer no estendal que tenho dentro de casa.
Estendo muito bem a roupa, cada peça tem duas molas e se a peça for grande, ponho quatro a seis para que o vento não a leve.
Prefiro as molas de madeira, não gosto delas em plástico, acho que não prendem bem a roupa, sobretudo quando a ponho no exterior e são guardadas no respectivo cesto.
Beijinho