quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Serviço de defesa do consumidor

Depois de mais de vinte anos a receber a Deco Proteste e mais algumas revistas associadas, efetuando o respetivo pagamento através de débito direto, decidi que já não queria mais. Fui ao banco e cancelei a autorização de débito direto.

Para meu espanto, pouco mais de dois meses depois, verifiquei, no extrato bancário, que o débito se mantinha. Voltei ao banco e ao que parece não chega fazer lá o cancelamento. É necessário fazê-lo também junto de quem nos cobra. Na verdade pouco depois da minha ordem ao banco, a Deco, querendo efetuar a sua cobrança, reativou o débito bancário valendo-se da minha autorização inicial de há muitos, muitos anos atrás.

E assim, lá fui hoje à Associação de Defesa do Consumidor cancelar uma subscrição que a mesma reativou contra a minha anterior instrução ao banco.



11 comentários:

maria disse...

É por essas e por outras que não quero nada a pagar por débito bancário...

:)

Ana disse...

malandros! e defendem eles o consumidor...

Catarina disse...

Aconteceu uma coisa semelhante comigo. Tratava-se da World Vision. Durante anos patrocinei duas crianças. Debitavam-me o respetivo valor todos os meses de uma conta aberta especificamente para este fim. Entretanto, prestei mais atenção à organização e pelo que lia, a maior parte do meu contributo não ia para as crianças mas para as despesas de administração, tipo grandes ordenados para os CEOs, etc. Informei o banco que queria cancelar aqueles pagamentos e fechei a conta. De facto, não informei a World Vision, por descuido, suponho. Passados seis meses, ao ver um extrato de conta de uma outra conta que não permite mais do que um levantamento por mês sem penalidade, vi que me estavam a debitar um valor semelhante ao do World Vision. Indaguei junto de uma funcionária. Confirmado. A World Vision continuou, durante 6 meses, a receber o meu donativo, de outra conta... sem minha autorização!
“Flipei”!!! : )))
A funcionária: Ah, pois, porque a senhora não informou a World Vision e tal...
Falei com a gerente: Ou me garante que vou ser reembolsada pelo valor total ou hoje mesmo todas as contas serão canceladas. E confirmei que nem era pelo montante mas era por princípio! Ninguém “mexe” em qualquer das minhas contas sem minha autorização!
Fui reembolsada na totalidade! E nem informei a World Vision.

Pedro Coimbra disse...

O que ainda é mais piadético (revoltante??) por envolver a Deco
BFDS!!

Helga disse...

Não se pode dizer que não defendem...

Vane M. disse...

Luísa, é um absurdo esse tipo de situação, né? Eu tive problemas parecidos com provedores de internet que nem havia contratado. Tem um site que se chama Reclame aqui, no Brasil, que ajuda bastante nesses casos, é só registrar a reclamação gratuitamente.
Um abraço!

Naná disse...

Luísa, isso só passou a ser assim de há uns meses para cá, com as alterações aos sistemas de débitos directos em conta, que agora se chama de sistema SEPA... porque dantes tu cancelavas e pronto! E isso vale para a Deco ou outra qualquer entidade ou empresa com quem tenhas actividade o débito directo em conta.

Quanto à Deco, não os gramo... eu cancelei uma subscrição de um produto que não solicitei, e que me cobraram duas vezes recorrendo a uma autorização que eu tinha para um outro produto. Quando cancelei, pedi a anulação de associada. Acreditas que passados 3 anos dessa cena, sou contactada por conta de uma tentativa de cobrança coerciva??!!! Isso sim é que é defesa do consumidor... e já nem falo da imensa publicidade não solicitada que eles enviam.

JP disse...

A culpa maior será sempre do Banco...se há cancelamento da tua arte, há uma ordem e o banco não pode reativar os pagamentos sem te consultar...

Beijinho

Rui Pascoal disse...

Também já fui cliente da Deco & Companhia e volta e meia eles insistem...
Saí da banca há alguns anos (não tenho saudades) mas suponho que o cliente pode através do Multibanco anular esses movimentos, embora haja um prazo limite (?) para o fazer.

papoila disse...

Eu penso como o Pedro Coimbra acho revoltante vindo de quem vem...
Recebi deles um presente, sorteado que nunca consegui pôr a funcionar, pesquisando no Google verifiquei que o mesmo aconteceu a muitas outras pessoas...
xx

Graça Sampaio disse...

Espertinhos...