sexta-feira, 29 de junho de 2018

Amores


O casal do 1º Esquerdo era um exemplo de perfeição. A Menina Júlia, que morava no rés do chão com quintal, cruzava-se frequentemente com os dois e observava aquela bonita relação, aquele doce e carinhoso amor que lhes iluminava o olhar. Um amor como ela nunca tinha visto. Um amor como ela nunca tinha tido. Um dia, não aguentou mais a inveja e encheu o quintal de amores-perfeitos.

17 comentários:

  1. uhum, talvez fosse mais adequado plantar um trepadeira...

    ResponderEliminar
  2. Fez bem, a menina Júlia. A solidão, com amores perfeitos leva-se melhor:), é Um veludilho de cores chamativas.

    ResponderEliminar
  3. Só assim mesmo: - flores amores perfeitos... rsrs...
    Abraço.

    ResponderEliminar
  4. Adorei estar aqui , tudo lindo e encantador...
    Espero sua visita em meu blog também.


    Beijos
    Ani

    https://cristalssp.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  5. Ah, acho que não vai resultar...
    ~CC~

    ResponderEliminar
  6. Kkkk e imagino que lindo ficou o quintal :))

    Bjos

    Um óptimo Sábado

    ResponderEliminar

  7. pelo menos, um filme com um final feliz !
    boa, Luisa :)))

    ResponderEliminar

  8. aprendi hoje que não é só o Santo Antonio e o Sao João que têm quadras !
    o São Pedro também é inspirador de poesias :)))
    Angela

    ResponderEliminar
  9. Não, Luísa...
    ...não era inveja o que a Menina Júlia sentia.
    Era desolação!

    Para quem não tem mais nada,
    o olhar também consola...ehehehe

    Beijinhos, bom fim de semana

    ResponderEliminar
  10. O jardim deve ter ficado bem perfumado!:)

    Beijos. Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  11. Imagino quão bonito deve ter ficado o teu jardim!
    Amores perfeitos? Só mesmo o das flores que falas.

    ResponderEliminar
  12. Como gosto de amores perfeitos nos jardins!
    Dos outros amores, erfeitos só na imaginação! Mas que os há dos bons, isso há!

    Bom ler-te, Luísa. Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  13. Ricardo,
    Uma brincadeirinha, apenas. :)

    Manuel Veiga,
    Ah… Mas a menina Júlia não é tão atrevida assim… :)

    Bea,
    Sempre consola o olhar… :)

    Célia,
    Uma espécie de “quem não tem cão caça com gato”… :)

    Ani Braga,
    Obrigada. Lá passarei. :)

    CCF,
    Pois não… Mas que são perfeitos, são. :)

    Larissa,
    Eu acho que sim. :)

    Gracinha,
    Um, não. Muitos. :)

    Ângela,
    Feliz, feliz, não direi. Florido sim. :)

    Janita,
    Prefiro pensar que é inveja para não ter pena da menina Júlia. :)

    Cidália,
    Espera-se que a menina Júlia não sofra de alergias… :)

    Manu,
    Por sinal, há um canteiro com alguns amores-perfeitos do outro lado da rua. É da minha prima e ela não se chama Júlia. :))

    Maria Eu,
    Obrigada! Os amores-perfeitos dão um belo efeito colorido. Para além das cores a menina Júlia terá que recorrer à imaginação. :)

    ResponderEliminar
  14. Gostei deste seu pequeno texto, que parece uma variação feliz dos "Les amants d'un jour", que a Piaf tão bem cantava.

    ResponderEliminar
  15. LuisY,
    "Les amants d'un jour" é uma belíssima canção que conta uma história triste. Esta é apenas uma brincadeira.
    Obrigada. :)

    ResponderEliminar