quarta-feira, 10 de junho de 2015

Dos segredos e da coscuvilhice

Ontem devo ter perdido algum tempo de vida. Durante a tarde, tive um episódio com uma colega que me deixou assaz irritada e não me foi possível partilhá-lo de imediato com as restantes colegas do setor. Fiquei remoendo o sucedido em silêncio, o tempo passou, chegou a hora da saída e tive que guardar a história só para mim. Agora que leio isto, percebo como a situação me prejudicou e já estou aqui a planear uma sessão terapêutica que me devolva o tempo perdido.

8 comentários:

heretico disse...

não se deve engolir em seco...

(enfim, digo eu que sou um "emotivo" rss)

beijo

Maria Moura disse...

Há coscuvilhice e coscuvilhice, se é que me faço entender. Acho que estás a precisar de desabafar o que não é bem a mesma coisa, Luísa. :)

Pedro Coimbra disse...

Esclarecer mal-entendidos não é coscuvilhice.
Dite cá para fora o que a atormenta!

Mona Lisa disse...

Com toda a certeza deste-lhe a tua opinião.

São episódios que aborrecem. Há pessoas que adoram viver , prejudicando os outros.

Espero que já estejas recomposta.

Beijinhos.

Just Things disse...

Por isso há tanta azia :)

Teté disse...

O tempo perdido foi-se e não volta mais, mas agora há que arranjar "defesas" para que situações dessas não se voltem a repetir... :)

Beijocas e calmex!

AC disse...

Coisas destas, remoídas, são autêntico veneno. Pode ser que o post ajuda na terapia, quem sabe...

Uma boa semana, sem coisas para remoer! :)

Graça Sampaio disse...

Pois, coscuvilhemos!!!