quarta-feira, 13 de novembro de 2013

A rapariga da caixa

A rapariga da caixa tem unhas de gel azuis. Vai passando os pacotes de massa e de arroz pelo leitor de códigos de barra. Passa o pão, as latas de conserva, as embalagens de queijo e fiambre, os sacos de frutas e legumes. Tem as mãos em modo automático e, enquanto vai passando as compras dos clientes do supermercado pela máquina, vai conversando com uma colega ou com alguma conhecida que se abeira dela junto à caixa. Sente-se que está animada com a conversa. Quando fecha a conta, interrompe, por breves segundos, o seu animado diálogo para verbalizar o montante que a cliente tem de pagar. Ao mesmo tempo pousa a mão estendida sobre o tampo da caixa para receber. Continua em amena cavaqueira e não olha sequer para a cliente que tem de lhe colocar o dinheiro na mão, como se de uma pedinte cega se tratasse.

A rapariga da caixa tem unhas de gel azuis e vai repetindo dia após dia os mesmos gestos. Por coincidência, ou não, há sempre uma amiga que a vem cumprimentar e com quem tem de travar uma conversa inadiável. Tão inadiável que não a interrompe sequer enquanto faz um troco e não consegue olhar para a cliente enfadonha que está a atender. Só consegue estender a mão sobre o tampo da caixa para receber o pagamento ao mesmo tempo que vira o tronco e a cabeça para conversar com a amiga que está do outro lado.

13 comentários:

LuisY disse...

Gosto das suas crónicas. Recordam-me um pouco os textos que a Maria Judite de Carvalho escrevia para os jornais ou algumas coisas da Irene Lisboa. Talvez por gostar tanto delas associo sempre os pequenos textos femininos que me tocaram ou me impressionaram com aquelas escritoras.

Um abraço

papoila disse...

Reconheci a menina da Caixa que no meu supermercado não tem as unhas azuis mas é a fotocópia da tua!
Também gosto da tua escrita.
xx

maria disse...

Também eu reconheci a "tua" menina da caixa, afinal há muitas meninas assim em muitas caixas de muitos supermercados, com unhas azuis ou de outras cores.

São de uma "profissionalismo" que até dá dó :(

Beijinho :)

Pedro Coimbra disse...

Retrato PERFEITO do que são TODAS as raparigas de TODAS as caixas!!!

Naná disse...

Se soubesses o que me irritam as meninas da caixa assim...

Mas confesso que me irritam igualmente as meninas da caixa, que vão comentando as tuas compras à medida que as passam no código de barras...

Rosa dos Ventos disse...

Não suporto gente que atende o público desta forma incorrecta!
Às vezes não resisto e lá mando uma piada!
Mas gostei da crónica!

Abraço

Arco Iris disse...

Texto fantástico.
É na realidade o retrato fiel das meninas da caixa, umas com unhas de gel , outras não.

Galopim disse...

Gosto da sua escrita! :)

Rui Espírito Santo disse...

Será alguma "licenciada" que está a trabalhar naquele lugar a contragosto,... um sacrifício ? ... e depois ainda se queixam ! ... e há tanta gente que gostaria de estar a trabalhar ! ....
Assim, "não vamos lá" !
.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Já tenho encontrado algumas meninas da caixa iguais a esta. Fazem-me cá uns nervos...

quem és, que fazes aqui? disse...


Será que saíram todas da mesma caixa?

Beijo

Laura

Luis Filipe Gomes disse...

O texto está muito bem escrito. Deixa o leitor na posição de punho fechado, com o polegar esticado na horizontal.
Há por aí uns hipermercados que têm umas caixas sem menina, em que nós podemos tratar de tudo. Mas eu que me decepciono com a indiferença das meninas da caixa, apesar de tudo, continuo a preferir as caixas que têm menina.

Graça Sampaio disse...

Mas tem unhas de gel azul... (E não é do Continente, que essas têm boa formação)